Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA e Rússia revivem a Guerra Fria no Oriente Médio com duas cúpulas

Reuniões paralelas, na Polônia e na Rússia, representaram a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito entre Israel e a Palestina
Juan Carlos Sanz e María R. Sahuquillo | El País
Sochi / Jerusalém - Em 1991, a Conferência de Madri estabeleceu um modelo para o diálogo multilateral no Oriente Médio após o fim da Guerra Fria, que havia colocado Washington contra Moscou na disputa pela hegemonia em uma região estratégica. Transcorridos mais de 27 anos, dois conclaves paralelos representaram nesta quinta-feira em Varsóvia (Polônia) e Sochi (Rússia) a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito israelo-palestino. Os Estados Unidos e a Rússia, copresidentes em Madri em 1991, já não atuam mais como mediadores para aliviar as tensões e, mais uma vez, assumem um lado entre as partes conflitantes.

No fórum da capital polonesa, a diplomacia dos EUA chegou a um impasse ao reunir mais de 60 países em uma reu…

Forças da defesa antiaérea da Síria repelem ataque aéreo de Israel

Os sistemas de defesa antiaérea da Síria repeliram um ataque aéreo de Israel, informou a televisão estatal síria.


Sputnik

Em 20 de janeiro, os sistemas de defesa antiaérea da Síria repeliram um ataque aéreo de Israel contra o Aeroporto Internacional de Damasco, interceptando todos os mísseis.


Resultado de imagem para pantsir syria
Pantsir | Reprodução

"Nossa defesa antiaérea repeliu um ataque aéreo israelense na região sul. Todos os mísseis foram interceptados, nenhum deles atingiu o alvo", declarou a fonte.

Segundo o Centro Nacional de Controle da Defesa da Rússia, os sistemas de defesa aérea Pantsir e Buk, operados pela Síria, destruíram sete mísseis israelenses. A infraestrutura do aeroporto não foi danificada. Não há vítimas nem danos, lê-se no comunicado.

"As forças de defesa antiaérea do Exército Árabe Sírio repeliram o ataque aéreo da Força Aérea de Israel contra o Aeroporto Internacional de Damasco", lê-se no comunicado do Centro Nacional de Controle da Defesa da Rússia.

De acordo com o comunicado do centro, o ataque com mísseis foi realizado por quatro aviões F-16 israelenses a partir do mar Mediterrâneo.

O último ataque israelense ocorreu no dia 11 de janeiro, tendo danificado as instalações do Aeroporto Internacional de Damasco, além de diversas aeronaves.

Os aviões israelenses que voavam na região da Galileia, na fronteira com o Líbano, lançaram vários mísseis em direção à capital da Síria. A maioria dos mísseis foi interceptada por meio de mísseis antiaéreos terra-ar.

A chancelaria síria exigiu mais uma vez que a ONU tome medidas para prevenir os repetidos ataques israelenses. O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, reconheceu em uma reunião do governo no domingo (13) que a Força Aérea de Israel realizou ataques contra alegados alvos iranianos na Síria e que Israel irá prosseguir esta prática.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas