Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Índia moderniza sua força naval com uma força mortal de submarinos com mísseis nucleares

Recentemente, o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, anunciou que o primeiro submarino nuclear de produção nacional, com o nome de Arihant, completou sua primeira patrulha de dissuasão.


Sputnik

O Arihant, cujo nome significa "Destruidor de Inimigos", utiliza um reator de água leve pressurizada a urânio para produzir 83 megawatts de eletricidade, permitindo ao submarino realizar missões debaixo d'água por meses. Sua velocidade pode atingir os 24 nós (45 km/h).


Imagem relacionada
INS Arihant

Mais importante que o sistema de propulsão do submarino, ele contém presumivelmente quatro tubos de lançamento vertical (VLS) com até uma dúzia de mísseis nucleares de curto alcance K-15 Sagarika, com um alcance de aproximadamente 700 quilômetros de distância.

O míssil K-15 Sagarika é destinado justamente a equipar os primeiros submarinos nacionais da Índia, da classe Arihant, e foi projetado para ser lançado debaixo d'água e aniquilar cidades e bases militares inimigas.

Este submarino indiano é o programa de defesa mais caro do país, originado a partir do programa Embarcação Tática Avançada, ressaltando que parcialmente o submarino Arihant foi baseado no submarino russo de ataque da classe Akula, um dos mais silenciosos da Marinha russa, segundo a revista The National Interest.

A grande diferença relacionada à Marinha da Índia é o fato de que, ao invés de desenvolver um submarino para caçar navios e submarinos inimigos, o centro de pesquisa e desenvolvimento indiano queria desenvolver um submarino dotado de mísseis nucleares de lançamento submarino.

O Arihant foi lançado à água em 2009, acontecimento que foi considerado "histórico" pelo chefe do governo, já que apenas outros cinco países haviam produzido submarinos nucleares. O submarino de 6.500 toneladas pode acomodar uma centena de marinheiros, além de permanecer imergido por um longo período de tempo, elevando sua capacidade de permanecer indetectável.

Entretanto, o submarino indiano apresentou algumas falhas durante seus testes e, mesmo que esteja pronto, ainda precisará passar por programas de aperfeiçoamento até ficar preparado para uma missão real.

A Marinha indiana está interessada em construir mais dois a quatro submarinos da classe Arihant, porém com configurações crescentes, recebendo mísseis K-5, que possuem um alcance aproximado de 4.900 km.

Além disso, a Índia pretende construir submarinos avançados de mísseis nucleares S5, com deslocamento de 15.000 toneladas e armados com 26 tubos lançadores capazes de disparar mísseis de ogivas múltiplas K-6, que possuem um alcance de 6.000 km.

Perante esse fato, a Índia demonstra sua evolução tecnológica, já que, mesmo com erros, o INS Arihant é um marco na tecnologia naval e bélica do país. Porém, pode se tornar um grande perigo para as regiões ao redor, como o Paquistão, por exemplo. Além disso, há rumores de que a China poderia exportar submarinos e tecnologia para este país. Sendo assim, o Arihant serviria apenas para iniciar uma corrida armamentista na região.

O projeto Arihant é parte de um plano de US$ 2,9 bilhões (R$ 11 bilhões) para construir cinco submarinos, entretanto, o projeto sofreu um atraso durante anos por enfrentar problemas técnicos, segundo as autoridades.

Além dos submarinos, a Índia possui aviões e mísseis capazes de transportar ogivas nucleares.

Comentários

Postagens mais visitadas