Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Israel arruína plantações palestinas com uso de pesticidas em Gaza, denuncia ONG

Grupos de direitos humanos pediram a Israel que pare de pulverizar herbicidas ao longo da fronteira de Gaza - uma prática que é a culpada por destruir plantações palestinas e causar problemas de saúde.


Sputnik

Apelidada de "guerra agrícola" pelos críticos, as autoridades israelenses insistem que eles só pulverizam culturas israelenses com herbicidas, mas os agricultores palestinos contestam essa afirmação.


Fumo de míssil lançado pelo Israel à Faixa de Gaza em represália ao ataque proveniente do enclave palestino, 5 de outubro de 2016
© REUTERS / AMIR COHEN

Outros indícios sugeriram que os ventos carregam os químicos perigosos, incluindo o glifosato (que foi proibido em muitos países devido ao receio de que cause câncer), através da fronteira de Gaza em território palestino.

O último caso de "guerra agrícola" teria ocorrido em dezembro do ano passado.

Ahmed Badawi, agricultor palestino, revelou que suas colheitas foram repetidamente contaminadas e arruinadas pelas pulverizações de herbicidas não solicitadas.

"Não sabemos o que fazer. É a mesma coisa de novo e de novo, todo ano", disse ele em entrevista à RT. "Sua pulverização destrói todas as plantas nas proximidades e não deixa nada para nós colhermos ao longo da fronteira. Também envenena as pessoas e as deixa doentes".

Badawi argumentou que não recebeu nenhum alívio do governo israelense. Em contraste, há casos em que os agricultores israelenses afetados pela pulverização foram compensados por suas perdas, informou Samir Zaqout, do Centro de Direitos Humanos Al Mezan.

"É isso que estamos pedindo aos agricultores palestinos em ambos os lados da fronteira. Eles devem ser tratados igualmente", acrescentou.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas