Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Londres diz que Assad se manterá no poder na Síria durante "algum tempo"

O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Hunt, afirmou nesta quinta-feira que o governo britânico acredita que o presidente da Síria, Bashar al Assad, se manterá no poder durante "algum tempo" graças ao apoio da Rússia.


EFE

Londres - "A posição que o Reino Unido mantém é que não conseguiremos uma paz duradoura na Síria com esse regime. No entanto, infelizmente, acreditamos que (Assad) vai estar lá durante algum tempo devido ao apoio que teve da Rússia", disse Hunt em entrevista com a emissora de televisão "Sky News".


O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Hunt. EFE/ Wallace Woon
O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Hunt. EFE/ Wallace Woon

O chefe da diplomacia britânica também disse que Moscou ganhou maior peso político na região com a consolidação do regime sírio.

"A Rússia pode pensar que ganhou uma esfera de influência. O que nós lhes diríamos é: Sim, mas também adquiriu uma responsabilidade", indicou Hunt.

"Se vai estar envolvido na Síria, então deveria assegurar que realmente há paz no país, e isso significa garantir que o presidente Al Assad não utilize armas químicas contra seu próprio povo", acrescentou.

O ministro britânico afirmou que o destino de dois supostos membros do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) que tinham nacionalidade britânica e estão detidos pelas forças curdas deve ser resolvido este ano.

Ambos são suspeitos de fazer parte de um grupo conhecido como "The Beatles", pelo seu sotaque britânico, e são acusados de assassinar vários cidadãos do Reino Unido e dos Estados Unidos.

Existe a preocupação quanto à possibilidade que uma retirada das tropas americanas, aliadas dos curdos, levar à libertação de alguns membros do EI que estão detidos.

"Esse é um dos problemas que vão ter que ser resolvidos durante este ano", indicou Hunt, que não descartou a possibilidade de esses dois detidos, que tiveram a cidadania britânica retirada, sejam transferidos ao Reino Unido para serem julgados.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas