Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA e Rússia revivem a Guerra Fria no Oriente Médio com duas cúpulas

Reuniões paralelas, na Polônia e na Rússia, representaram a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito entre Israel e a Palestina
Juan Carlos Sanz e María R. Sahuquillo | El País
Sochi / Jerusalém - Em 1991, a Conferência de Madri estabeleceu um modelo para o diálogo multilateral no Oriente Médio após o fim da Guerra Fria, que havia colocado Washington contra Moscou na disputa pela hegemonia em uma região estratégica. Transcorridos mais de 27 anos, dois conclaves paralelos representaram nesta quinta-feira em Varsóvia (Polônia) e Sochi (Rússia) a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito israelo-palestino. Os Estados Unidos e a Rússia, copresidentes em Madri em 1991, já não atuam mais como mediadores para aliviar as tensões e, mais uma vez, assumem um lado entre as partes conflitantes.

No fórum da capital polonesa, a diplomacia dos EUA chegou a um impasse ao reunir mais de 60 países em uma reu…

Mídia americana considera Força Aérea da Ucrânia uma das piores do mundo

O portal norte-americano We Are The Mighty incluiu a Força Aérea da Ucrânia na lista das dez piores do mundo em 2018, devido à tecnologia desatualizada, mau treinamento do pessoal de voo e manutenção deficiente.


Sputnik

No anti-rating do portal, a Força Aérea ucraniana ocupa o sexto lugar, entre o Irã e o Paquistão. Além desses países, os dez primeiros também incluem a Força Aérea do Canadá, China, Grécia, México, Arábia Saudita, Coreia do Norte e Síria.


Sukhoi Su-25 ucraniano | The Avionist

De acordo com o artigo, durante o conflito em Donbass, a aviação ucraniana "matou civis" ou seus aviões foram abatidos durante o cumprimento de missões. Ao mesmo tempo, o portal indica que a Força Aérea do país não foi capaz de opor resistência às milícias no leste do país.

Os aviões ucranianos caem sem a ajuda do inimigo, sublinha o portal, lembrando o caso do acidente de um avião Su-27 no ano passado, que matou um piloto americano, bem como a tragédia em Lviv em 2002, quando 83 pessoas morreram em resultado da queda de um Su-27 ucraniano sobre uma multidão de telespectadores durante uma exibição aérea.

A razão de tais incidentes é a má manutenção dos equipamentos, o mau treinamento dos pilotos ucranianos, bem como a sua "imprudência", acredita o autor.

Além disso, a maioria das aeronaves que estão em serviço da Força Aérea ucraniana foi produzida na URSS e têm uma idade respeitável, indica.

Quando a Rússia, após a "anexação da Crimeia", capturou 45 aviões ucranianos, provavelmente prestou um tremendo serviço ao país, conclui We Are The Mighty.

A Crimeia se reunificou com a Rússia em 2014 depois de um referendo no qual mais de 90% dos moradores votaram pela reunificação. No entanto, Kiev ainda considera a península como território ucraniano.

As autoridades russas ressaltaram inúmeras vezes que a reunificação ocorreu de forma legal, de acordo com as leis internacionais.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas