Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Porta-aviões chinês poderá contar com catapulta para lançar drones

Segundo uma fonte militar, a Marinha chinesa planeja embarcar drones em seu futuro porta-aviões.


Sputnik

Recentemente, um canal de televisão chinês exibiu um vídeo mostrando o drone Tian Ying decolando e pousando, entretanto, o local e quando isso aconteceu não foram revelados. Na ocasião, foi a primeira aparição do drone propulsado.


Porta-aviões chinês
Porta-aviões chinês © AFP 2018 / STR

O Global Times descreve o drone Tian Ying ou Sky Hawk como um veículo aéreo não tripulado de alta altitude, longo alcance e veloz, capaz de realizar missões de reconhecimento e patrulha em territórios hostis.

Além disso, o veículo operará a partir do futuro porta-aviões da China, que utilizará catapultas eletromagnéticas.

O que também indica a possibilidade da utilização do drone em seu futuro porta-aviões são suas rodas do trem de pouso, típicas para operarem em pousos duros e em superfícies de alto impacto, como a bordo de um porta-aviões.

Para utilizar o drone em seu porta-aviões, a China precisará de um porta-aviões capaz de lançar o drone pelo sistema de catapulta, entretanto, as atuais embarcações chinesas realizam o lançamento através do sistema de rampa.

Porém, vale ressaltar que o terceiro porta-aviões chinês, um Type 002 vessel, está sendo construído e pode possuir uma catapulta, o que permitirá a embarcação de drones. Contudo, o terceiro porta-aviões chinês entraria em serviço em 2020, caso seja equipado com o sistema de catapulta.

Comentários

Postagens mais visitadas