Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

Presidente da Turquia expressa apoio a Nicolás Maduro

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, expressou nesta quinta-feira seu apoio ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, depois que Juan Guadió, líder da Assembleia Nacional do país, se autoproclamou novo líder e foi reconhecido pelos Estados Unidos e outras várias nações.


EFE

Ancara - Erdogan ligou para Maduro para expressar o apoio da Turquia. "Maduro, irmão! Te mantnha firme, estamos com você", segundo informou Ibrahim Kalin, porta-voz da Presidência turca, na rede social Twitter.


EFE/ Str
Recep Tayyip Erdogan | EFE/ Str

"A Turquia manterá os princípios contra a tentativa golpista sob a liderança do nosso presidente Erdogan", acrescentou Kalin, encerrando a mensagem com a hashtag #WeAreMADURO.

Ontem à noite, o próprio Maduro tinha informado sobre a ligação de Erdogan para expressar apoio.

O país se posiciona assim contra autoproclamação de Juan Guaidó, que não reconhece o segundo mandato de Maduro, iniciado há duas semanas.

Guaidó recebeu o apoio dos Estados Unidos, Canadá, Brasil, Colômbia, Argentina e outros países sul-americanos.

A Turquia, que mandou o vice-presidente Fuat Oktay à posse em 10 de janeiro, alinha seu apoio a Maduro como "democraticamente eleito" com outros países como Rússia e México.

O país é um importante abastecedor de alimentos e outros bens para a Venezuela e, além disso, começou a refinar e certificar ouro venezuelano. Ambos países anunciaram no ano passado projetos de cooperação para a exploração de carvão e ouro.

Além disso, negociam investimentos turcos na indústria petrolífera da Venezuela, o país com maiores reservas petrolíferas do planeta.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas