Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Quais são as chances do helicóptero mais caro da Marinha dos EUA nem chegar a decolar?

Pentágono acredita que o novo helicóptero de transporte pesado da Marinha dos EUA, o Sikorsky CH-53K King Stallion, avaliado em US$ 144 milhões (R$ 538 milhões) por unidade, seja mais caro do que o caça F-35A Lightning II.


Sputnik

Apesar do custo elevado, o helicóptero talvez não entre em operação tão cedo, pois apresenta uma série de problemas técnicos, segundo a revista The National Interest.


Sikorsky CH-53K
Sikorsky CH-53K King Stallion © Sikorsky/Lockheed Martin

Perante essa situação, o porta-voz do Comando de Sistemas Aéreos Navais, Greg Kuntz, afirmou que a descoberta de problemas técnicos ocorreu depois do esperado e que a reestruturação do programa está "demorando mais do que o planejado", já que as "falhas ou problemas adicionais" foram descobertos durante os testes de voo.

Recentemente, um relatório do Pentágono detalhou os numerosos problemas estruturais na fuselagem da aeronave. Segundo o documento, esses problemas são agravados pela falta de peças necessárias para a manutenção da aeronave, o que significa um "alto risco" para a fuselagem.

Dentre os problemas mais sérios, descobertos até o momento, estão a deficiência da caixa de transmissão do rotor principal, o indicador de velocidade não confiável, o superaquecimento dos elementos de propulsão essencial e as irregularidades nas hélices do rotor de cauda.

O programa do helicóptero CH-53K King Stallion, avaliado em aproximadamente US$ 31 bilhões (R$ 115 bilhões) para o Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, possivelmente perderá sua capacidade de combate inicial prevista para daqui a um ano, isso devido a problemas técnicos durante os testes de desenvolvimento.

A Marinha dos EUA está trabalhando com a Lockheed para "reavaliar e reestruturar o cronograma detalhado do programa, incluindo a prolongamento da conclusão" da fase atual de desenvolvimento, ressalta Kuntz.

A reestruturação do programa inclui soluções para desafios técnicos e problema de reingestão de gases de escape, entretanto, a Marinha "ainda não efetuou uma determinação formal" sobre uma nova data inicial de capacidade de combate, afirmou Kuntz.

O CH53-K será do mesmo porte do que seu antecessor, entretanto, poderá transportar praticamente o triplo de carga, levantando 27.000 libras (12 toneladas).

A agência de gerenciamento de contratos de defesa estima que os testes de voo não estejam completos até maio de 2020, o que significa um atraso de cinco meses para declarar que o helicóptero tem capacidade inicial de combate.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas