Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Rússia acusa EUA de prenderem cidadão russo após detenção de ex-fuzileiro norte-americano

Detenções podem complicar ainda mais os laços entre Washington e Moscou, apesar do desejo externado pelos presidentes Donald Trump e Vladimir Putin de construírem uma boa relação pessoal.


Reuters

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse neste sábado (5) que os Estados Unidos detiveram um cidadão russo dias depois de Moscou ter prendido o ex-fuzileiro naval norte-americano Paul Whelan por suspeita de espionagem.

Resultado de imagem para Ministério das Relações Exteriores da Rússia
Ministério das Relações Exteriores da Rússia | © Sputnik / Maksim Blinov

Whelan foi preso pelo Serviço de Segurança Federal russo no dia 28 de dezembro. A família do ex-fuzileiro diz que ele é inocente e que estava em Moscou por causa de um casamento.

O ministério afirmou que os EUA prenderam o cidadão russo Dmitry Makarenko nas Ilhas Mariana do Norte no dia 29 de dezembro, e o levaram para a Flórida.

"Makarenko, nascido em 1979, chegou à Ilha Saipan com sua mulher, crianças e parentes mais velhos. Ele foi preso pelo FBI no aeroporto logo após a sua chegada”, disse o ministério.

A embaixada norte-americana em Moscou não comentou o ocorrido.

As acusações de ambos os lados podem complicar ainda mais os laços entre Washington e Moscou, apesar do desejo externado pelos presidentes Donald Trump e Vladimir Putin de construírem uma boa relação pessoal.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, afirmou nesta semana que Washington pediu a Moscou que explique a prisão de Whelan e que vai exigir o seu imediato retorno caso a detenção não tenha uma justificativa plausível.

Comentários

Postagens mais visitadas