Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Rússia começou a patrulhar cidade síria de Manbij (VÍDEO)

A polícia militar das Forças Armadas russas começou a patrulhar o território da cidade de Manbij, na província síria de Aleppo, perto da fronteira com a Turquia, disse a repórteres o porta-voz da polícia Yusup Mamatov.


Sputnik

"Hoje começou o patrulhamento da zona de segurança na cidade de Manbij e seus arredores, a tarefa é garantir a segurança na área, controlar a situação e o movimento de formações armadas", disse Mamatov.


Exército sírio se instalando na área de Manbij
Exército da Síra ocupando a base militar de Manbij © Sputnik / Muhammad Maaruf

Ele acrescentou que os moradores locais informam a polícia sobre armas e projéteis não detonados que permaneceram lá desde que o território foi ocupado pelos combatentes.

No final de dezembro, o Exército Sírio entrou em Manbij, anteriormente controlado pelas milícias curdas do YPG, e içou a bandeira nacional na cidade.

Pouco antes, o YPG anunciou que eles estavam deixando Manbij por causa das ameaças da Turquia para invadir, e pediu às tropas do governo sírio para assumir o controle da cidade.

No início de janeiro, foi relatado que cerca de 400 militantes curdos da YPG deixaram Manbij, como combinado com Damasco, e se dirigiram para a margem leste do rio Eufrates.

Segundo declarações do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, Ancara estava preparada para lançar uma ofensiva a leste do Eufrates e na área síria de Manbij contra as forças curdas, se os EUA, seu principal aliado, não os retirassem de lá.

Para a Turquia, o YPG é um braço armado do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), proibido no país e classificado como uma organização terrorista.


Comentários

Postagens mais visitadas