Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Saab oferece o caça Gripen E para a Suíça (VIDEO)

Com o apoio da Suécia, a Saab apresentou hoje a sua proposta para a aquisição de novos aviões de combate suíços à armasuisse, a agência suíça de aquisição de defesa. A Saab oferece o Gripen E e um abrangente programa de participação industrial para a indústria suíça, que corresponde a 100% do valor do contrato.


Poder Aéreo

A proposta consistindo de opções para 30 e 40 aeronaves de caça Gripen E de nova construção é uma resposta à Solicitação de Proposta (RFP), que a armasuisse emitiu em 6 de julho de 2018. A Suíça tem a necessidade de substituir sua frota de caça F/A 18 aeronaves Hornet e F-5 E/F Tiger.

Caça Saab JAS 39E Gripen voa com mísseis Meteor
Caça Saab JAS 39E Gripen com mísseis Meteor

“A solução proposta do Gripen E apresenta a mais recente tecnologia disponível e baixos custos de aquisição, operação e suporte que darão à Suíça um tamanho ideal de frota, com o melhor efeito operacional total nas próximas décadas”, diz Jonas Hjelm, diretor da área de negócios da Saab Aeronáutica.

Como parte da proposta para a Suíça, a Saab oferece participação industrial suíça no valor de 100% do valor do contrato. A cooperação com a indústria suíça, em todas as regiões do país, em manufatura, manutenção e tecnologia, melhorará a competência e as capacidades destinadas à sustentação e ao desenvolvimento do sistema Gripen E na Suíça. A Saab tem uma base histórica, forte e ampla de fornecedores na Suíça, que este programa irá expandir ainda mais para assegurar uma cooperação eficiente ao longo da vida.

O programa Gripen E está progredindo conforme o planejado, com a produção em andamento e as entregas dos clientes a partir deste ano. As mais recentes tecnologias estão sendo incorporadas para fornecer às forças aéreas capacidades operacionais projetadas para derrotar as ameaças de hoje, mas também o futuro. Os principais marcos alcançados durante os últimos seis meses incluem voos com mísseis IRIS-T e METEOR, bem como a segunda aeronave do Gripen E em voo.

Cinco nações operam atualmente o Gripen: Suécia, África do Sul, República Tcheca, Hungria e Tailândia. A Suécia e o Brasil encomendaram o Gripen E. Além disso, a Escola de Pilotos de Teste do Império do Reino Unido (ETPS) usa o Gripen como plataforma para treinamento de pilotos de teste.

DIVULGAÇÃO: Saab


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas