Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Taiwan prefere caças F-16 ao invés dos F-35 para conter a China, diz mídia

Taiwan decidiu atualizar frota de caças F-16, o que pode descartar o desejo do país por caças americanos F-35.


Sputnik

A Força Aérea do país deve receber seus primeiros quatro caças F-16 A/B no início de 2019. Taiwan decidiu atualizar suas aeronaves no início de 2018 com a intenção de converter suas aeronaves em uma versão mais avançada, como o F-16V, segundo a Agência Central de Notícias de Taiwan.


Caça F-16 da Força Aérea de Taiwan  (foto de arquivo)
F-16 Fighting Falcon de Taiwan © AFP 2018 / Chiang Ying-ying

Com a atualização, Taiwan não obterá possivelmente as aeronaves F-35, fabricadas pela Lockheed Martin, conforme analista em defesa.

Segundo Collin Koh, pesquisador de segurança naval da Universidade Tecnológica de Singapura, os caças F-35 seriam uma solução em longo prazo para Taiwan, o que fez com que o país analisasse outras opções.

Taiwan tem os EUA como aliados e se prepara para um eventual conflito com a China, já que o gigante asiático não reconhece a independência de Taiwan, inclusive, recentemente, o líder chinês, Xi Jinping, reafirmou que o país poderia utilizar a força contra a ilha.

Atualmente, Taiwan conta com caças franceses Mirage 2000, que operam há 25 anos pelas forças do país, e não descarta a compra dos caças F-35, entretanto, o país reconhece que deve considerar diversos fatores e, apenas após isso, avaliará e pesquisará as opções mais viáveis.

Apesar do interesse informal de Taiwan por caças F-35, a negociação só poderia ser concretizada com a aprovação do governo dos EUA, que, por sua vez, informalmente rejeitou a ideia, conforme publicação do portal Voa News.

Há rumores de que oficiais americanos estejam preocupados com a possibilidade de espiões chineses roubarem a tecnologia do F-35 em uma eventual negociação com Taiwan, além das chances de os F-35 não conseguirem combater os mísseis chineses.

O ex-ministro da Defesa da China, Andrew Yang, ressalta que o governo dos EUA recomenda mísseis de defesa de curto alcance e de baixo custo para conter uma invasão anfíbia, ao invés de capacidades simétricas a avião de combate avançado e caro.

Taiwan está gastando aproximadamente US$ 3,64 bilhões (R$ 13,51 bilhões) na atualização dos 144 caças F-16 A/B, sendo considerada a maior e mais importante atualização para a Força Aérea do país. Os F-16 receberão novo hardware e sistemas avançados de radar semelhantes aos utilizados pelo F-35.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas