Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

'Terroristas não podem ser aliados': Turquia responde a EUA sobre 'devastação econômica'

As tensões entre Ancara e Washington aumentaram ainda mais devido à questão curda, após o ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, ter anunciado na semana passada que Ancara iria lançar uma operação militar a leste do rio Eufrates se os EUA não retirassem suas tropas da Síria a tempo.


Sputnik

Ibrahim Kalin, porta-voz do presidente turco, respondeu no Twitter a um comentário recente do presidente dos EUA, que ameaçou "devastar economicamente" a Turquia se Ancara atacar as forças curdas na Síria, apoiadas pelos EUA.


Soldados turcos na Síria (foto de arquivo)
Tropas turcas na Síria © AFP 2018 / BULENT KILIC

O apoio dos EUA aos militantes curdos, que lutam contra o Daesh na Síria, tornou-se um grande obstáculo nas relações entre os dois aliados da OTAN. A Turquia considera que as Unidades de Proteção Popular curdas na Síria (YPG) são afiliadas ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), considerado pela Turquia como uma organização terrorista.

A questão se agravou desde que Trump declarou vitória sobre o Daesh, anunciando que retiraria cerca de 2 mil soldados dos EUA da Síria. Ao abordar o assunto, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, alertou que os EUA garantiriam que as forças turcas não atacariam os militantes curdos.

Além disso, o Ministério das Relações Exteriores da Síria confirmou que Damasco intensificou as negociações com os curdos em meio à ameaça de uma operação turca.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas