Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Trump não descarta uso de força militar na Venezuela, diz senador

O senador Lindsey Graham, membro do Partido Republicano, afirmou que o presidente dos EUA, Donald Trump, discutiu com ele a possibilidade de usar a força militar na Venezuela há algumas semanas.


Sputnik

A Venezuela está passando por uma crise política, e o atual presidente do país, Nicolás Maduro, tem acusado reiteradamente Washington de orquestrar um golpe de Estado no seu país.


Soldados do Exército dos EUA pertencentes ao 1º Pelotão, Able Troop 3-71 Cavalry Squadron e membros da Guarda Nacional da Carolina do Sul. (Arquivo)
Militares dos EUA © AP Photo / Dario Lopez-Mills

"Ele [Trump] disse: 'O que você acha de usar a força militar?' e eu disse: 'Bem, você precisa ir devagar, isso pode ser problemático'. E ele disse: 'Bem, estou surpreso, você quer invadir todo mundo', afirmou Graham ao site de notícias Axios sobre sua conversa com o presidente dos EUA, que aconteceu há algum tempo.

Segundo Graham, a força militar deve ser usada apenas quando os interesses de segurança nacional dos EUA forem comprometidos. O senador acrescentou que Trump era "muito agressivo" em relação à Venezuela.

Citando altos funcionários do governo de Trump, o site de notícias informou que não houve sinais de que Washington realmente planejasse invadir a Venezuela, uma vez que o presidente norte-americano apenas queria acelerar a mudança de regime no país latino-americano devido a motivos econômicos e diplomáticos.

Em 23 de janeiro, o conflito entre o governo e a oposição na Venezuela se agravou, quando o presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, se autoproclamou presidente interino do país. Os EUA e vários outros países reconheceram Guaidó. Por sua vez, Maduro acusou Washington de organizar um golpe e disse que Caracas está rompendo relações diplomáticas com os EUA.

As relações entre os Estados Unidos e a Venezuela têm sido tensas desde há muito tempo. Em agosto de 2017, Trump comentou que não descartaria uma "opção militar" para acabar com o caos na Venezuela.

A Rússia apoiou Maduro como presidente legítimo da Venezuela e demonstrou sua disposição de se tornar mediadora no estabelecimento de relações entre as autoridades e a oposição na Venezuela, se tais esforços forem considerados necessários.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas