Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Ucrânia está disposta a comprar drones de ataque turcos

A Ucrânia comprará drones de ataque turcos Bayraktar TB2, informou no Facebook o presidente ucraniano Pyotr Poroshenko.


Sputnik

"Esses novíssimos drones de ataque de nível tático-operativo, além das características de ponta, também podem ser adicionalmente equipados com foguetes de alta precisão para destruição de veículos blindados, construções de engenharia e fortificação, bem como alvos marítimos", declarou o presidente ucraniano.


Resultado de imagem para Bayraktar TB2

Pyotr Poroshenko chamou a este acordo de parte das iniciativas destinadas a ampliar a cooperação militar entre a Ucrânia e Turquia. Segundo ele, a decisão corresponde ao "curso estratégico da Ucrânia na OTAN" e contribui para a integração do complexo militar-industrial da Ucrânia no mercado mundial de armamento.

Anteriormente, a Ucrânia comprou fuzis canadenses produzidos pela empresa PGW Defence Technologies. O primeiro lote de armas será fornecido já neste ano. Em dezembro de 2018, o ministro da Defesa ucraniano informou que o país compraria cerca de vinte tipos de armas que as Forças Armadas ucranianas ainda não dispõem.

A Rússia avisou mais de uma vez sobre o fornecimento de armas a Kiev, que pode levar à escalação do conflito no Leste da Ucrânia, não contribuindo para a sua resolução e realização dos acordos de Minsk. A chancelaria russa sublinhou também que Moscou está preocupada com o fornecimento planejado de armas letais à Ucrânia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas