Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Venezuela acusa EUA de apoiar "golpe de estado" e rechaça antecipar eleições

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza, acusou neste sábado os Estados Unidos no Conselho de Segurança da ONU de estar à frente de um "golpe de estado" no país sul-americano, e rechaçou antecipar eleições, após a cobrança feita por Reino Unido, França, Alemanha e Espanha para que elas sejam convocadas em um prazo de oito dias.


EFE

ONU - "Os Estados Unidos não estão por trás do golpe de estado, estão à frente, dão e ditam as ordens, não só à oposição venezuelana, mas aos países satélites", disse Arreaza, além de acusar o governo americano de fazer uma "grosseira intervenção" e de "ingerência".


Resultado de imagem para Jorge Arreaza
Jorge Arreaza | Reprodução

O Conselho de Segurança da ONU discutiu hoje a crise na Venezuela, a pedido dos Estados Unidos e apesar da rejeição de Rússia e China, após o presidente do Parlamento venezuelano, Juan Guaidó, se proclamar presidente interino do país.

Arreaza também acusou o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, de ter dado "sinal verde" para um "golpe de estado" por causa de um recente vídeo no qual mostrou apoio a Guaidó e às manifestações convocadas pela oposição.

O ministro alegou que as Nações Unidas não deveriam permitir o comportamento dos Estados Unidos e criticou duramente Reino Unido, França, Alemanha e Espanha por darem um prazo de oito dias ao presidente Nicolás Maduro para que convoque eleições - ou então reconheceriam Guaidó como chefe de governo - e disse que a União Europeia não tem nenhuma legitimidade para fazer ultimatos à Venezuela.

Arreaza também perguntou por que o presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, não convocava eleições gerais, já que assumiu o poder após uma moção de censura contra o antecessor no cargo, Mariano Rajoy.

"Querem levar a Venezuela a uma guerra civil. Não vão conseguir", declarou o chanceler venezuelano.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas