Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Washington pode conversar com Rússia sobre proteção aos curdos após saída dos EUA da Síria

Os Estados Unidos estão abertos a conversar com a Rússia sobre a necessidade de garantir que as forças curdas não sofram com a retirada das tropas norte-americanas da Síria, disse o conselheiro de segurança nacional, John Bolton, em entrevista nesta sexta-feira.


Sputnik

"Os curdos estão em uma posição muito difícil, e o presidente [Donald Trump], ao falar com o presidente Erdogan, acha que nós, eles eram leais a nós, devemos garantir que eles não sejam prejudicados", disse Bolton prara o programa de rádio de Hugh Hewitt. "Nós conversaríamos com os russos sobre isso também, se for necessário", acrescentou.


John Bolton na OTAN.
John Bolton © Sputnik / Alexey Vitvitsky

Bolton explicou que Trump pediu ao líder turco Recep Tayyip Erdogan para ser particularmente cuidadoso com os curdos que ajudaram os Estados Unidos a combater grupos terroristas na região. A Turquia assumiu tal compromisso, disse Bolton, mas a situação mudou desde então e se tornou mais complicada.

Consequentemente, os Estados Unidos continuam as conversações no nível dos militares com a Turquia e esperam avançar no assunto, acrescentou Bolton.

A entrevista de Bolton aconteceu quase um mês depois de Trump ter declarado a vitória sobre o grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia) na Síria e ter anunciado a retirada das tropas norte-americanas do país.

A administração Trump mais tarde mudou sua abordagem de uma retirada imediata para uma retirada gradual.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas