Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Almirante da Marinha dos EUA apela para 'ofensiva' contra Rússia e China

O almirante John Richardson, chefe das operações navais dos EUA, apelou a Washington para uma "ofensiva" contra a Rússia e China, de acordo com a edição Business Insider.


Sputnik

Durante uma conferência do Conselho Atlântico, o militar de alto escalão acusou a Rússia de bloquear o mar de Azov e de reforçar a sua presença militar e naval no Mediterrâneo Oriental.


US Navy uss lassen
USS Lassen (DDG 82) | Reprodução

O vice-secretário geral da OTAN, Alexander Vershbow, indicou que a Rússia se apodera cada vez mais das vias marítimas e perguntou ao almirante como Washington poderia conter a suposta agressão. Richardson afirmou que, para os EUA, "chegou a hora de atacar primeiro".

Segundo ele, os EUA devem pensar não somente em como "refilar", mas também em "pressionar" primeiro em "um par de regiões".

"Acredito que seria ótimo se nós pudéssemos fazer esse pessoal, os russos, alguns de nossos concorrentes, reagir a nossos primeiros passos. De vez em quando há vantagem em jogar na parte branca do tabuleiro [de xadrez]", apontou Richardson.

Em 25 de novembro, três navios ucranianos violaram a fronteira nacional da Rússia, tendo entrado em águas russas temporariamente fechadas, efetuando manobras perigosas e ignorando as exigências das tripulações de lanchas e navios russos que os estavam acompanhando.

O lado russo foi forçado a utilizar armas, como resultado, três militares ucranianos ficaram levemente feridos. Os três navios foram detidos.

O presidente russo, Vladimir Putin, qualificou o incidente como uma provocação, tenho apontado que entre tripulantes dos navios apreendidos estavam dois funcionários do Serviço de Segurança da Ucrânia que de fato, dirigiam a operação.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas