Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Caça de elite chinês J-16 recebe capacidade furtiva, afirma mídia

O Exército Popular de Libertação da China recentemente reportou uma nova atualização para o caça chinês J-16.


Sputnik

O caça bimotor de guerra eletrônica de dois lugares deve obter capacidades semelhantes a de um caça furtivo, o que poder permitir que a aeronave não seja detectada por radares, aumentando, assim, as chances de sobreviver além do alcance visual.


Imagem relacionada
Shenyang J-16 | Reprodução


Os caças surgiram com uma nova pintura, cinza-prateada, e com novas capacidades que o aproximam de um caça de quinta geração, principalmente graças às qualidades antirradar, assim como no caça de quinta geração J-20, conforme a revista Military Watch.

Ressaltando que o J-16 é derivado do caça Su-27 e entrou em serviço pela Força Aérea chinesa em 2013. A China conta também com caças J-20 e J-10C.

Após a atualização, a aeronave foi presenteada com diversas capacidades que a deixam muito próxima do J-10C de geração 4++ e o J-20 de quinta geração, além disso, ela pode ser baseada na estrutura do caça Su-35 russo, o que completaria suas camadas furtivas.

Com isso, a aeronave seria capaz de apoiar missões de longo alcance, servindo eficazmente como um complemento ao J-20 e J-10C, sendo possível utilizar o J-20 para conquistar a superioridade aérea, enquanto que o J-16 neutraliza as ameaças inimigas no solo e no mar, já o J-10C pode fornecer um apoio geral para ambos, caso seja necessário.

O J-16 é um caça que possui elevadas capacidades de combate e está previsto que seja a primeira plataforma de lançamento para os mísseis ar-ar PL-21/PL-XX. Vale observar que o J-16 já conta com o míssil ar-ar de longo alcance PL-15.

Além destas especificações, o J-16 deve contar com o empuxo vetorial, já testado no J-10 e configurado para desenvolver no J-11D, sendo outro caça de geração 4++.

Caso a aeronave J-16 seja capaz de transportar os mísseis PL-21/PL-XX, terá fundamental importância em futuras missões, podendo ser um diferencial contra alvos ocidentais, neutralizando cada um deles.

Comentários

Postagens mais visitadas