Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Canadá barra jornalistas da Sputnik para reunião do Grupo de Lima sobre Venezuela

O Ministério das Relações Exteriores do Canadá negou o credenciamento de jornalistas da Sputnik e da RIA Novosti para o encontro do Grupo de Lima sobre a Venezuela, em Ottawa.


Sputnik

O porta-voz da chancelaria do Canadá, Richard Walker, explicou ao correspondente da Sputnik que o credenciamento foi negado alegando que a agência de notícias “não tem sido cordial” com a ministra das Relações Exteriores do país, Chrystia Freeland. 


Encontro do Grupo de Lima
© AP Photo / Martin Mejia

"Obrigado pelo interesse no 10° encontro ministerial do Grupo de Lima em Ottawa. Este e-mail é para que vocês saibam que NÃO foram credenciados como mídia", afirmou o MRE do Canadá em carta original, notificando os jornalistas sobre a recusa.

O Grupo de Lima é composto por 14 países-membros e foi criado em agosto de 2017 com o objetivo de promover reformas democráticas na Venezuela.

A maioria dos Estados-membros criticou o governo do presidente venezuelano em exercício, Nicolás Maduro, além de reconhecer o líder da oposição, Juan Guaidó, como o presidente interino do país.

No domingo (3), o canal de televisão venezuelano Telesur afirmou que teve acesso negado para o encontro ministerial do Grupo de Lima pelo governo canadense, que não forneceu qualquer satisfação relacionada à recusa.

A Venezuela está enfrentando diversos protestos contra o governo, tendo Guaidó se declarado presidente interino do país em 23 de janeiro.

O Canadá, assim como os EUA e o Brasil, reconheceram Guaidó como presidente da Venezuela no mesmo dia da autoproclamação. Enquanto que a Rússia, China e alguns outros países reconhecem Nicolás Maduro como o legítimo presidente bolivariano.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas