Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

Divulgado VÍDEO de destruição de veículos blindados americanos por houthis

Na quarta-feira (13), foi publicado no Youtube um vídeo que mostra combatentes houthis destruindo equipamento militar capturado em resultado de um ataque contra a província saudita de Najran.


Sputnik

Nas imagens se pode ver rebeldes destruindo três veículos blindados LAV de fabricação norte-americana, pertencentes à Guarda Nacional da Arábia Saudita.


Resultado de imagem para houti LAV-25
Reprodução

Primeiro, foi explodido o LAV-25, fazendo a torre e o canhão serem lançados a vários metros. A seguir, foi despedaçado o LAV Bison, o que provocou uma nuvem negra parecida com cogumelo. Os últimos a serem destruídos foram um pick-up Toyota e um LAV-R, deixados pelos sauditas.

Não é a primeira vez que os militares houthis causam danos significantes ao equipamento militar americano que os EUA fornecem sem parar a seus fantoches na região.

O conflito político-militar no Iêmen entre o governo e houthis rebeldes do movimento xiita Ansar Allah continua desde 2014. Em março de 2015, uma coalizão militar de países árabes, liderada pela Arábia Saudita, tem apoiado o governo.

Em dezembro de 2018, as partes do conflito no Iêmen reuniram-se, pela primeira vez em vários anos, à mesa de negociações, que foram organizadas na Suécia sob a égide da ONU. Eles conseguiram chegar a um número importante de acordos. Em particular, sobre a troca de prisioneiros e o cessar-fogo na cidade portuária de Hodeida, banhada pelo mar Vermelho.



Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas