Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Força Aérea dos EUA prefere obter caças F-15X ao invés dos problemáticos F-35, diz mídia

O general David Goldfein, chefe de gabinete da Força Aérea dos EUA, confirmou o interesse no melhorado caça F-15X.


Sputnik

Goldfein afirmou que o dinheiro para o programa F-15 não utilizaria os fundos do orçamento para compra dos F-35. O fato foi comentado pela diretora-executiva da Lockheed Martin, Marillyn Hewson, afirmando que o chefe do Pentágono garantiu que a possível compra dos F-15 não influenciaria a quantidade de F-35, segundo o portal Defense News.


Resultado de imagem para f-15x
F-15X Super Eagle | Reprodução

O melhorado F-15X conta com aviônicos avançados e uma maior carga de armamentos. Vale ressaltar que o secretário de Defesa, Patrick Shanahan, trabalhou na Boeing no programa de rotores de aeronaves.

Esse programa permitiu ao Pentágono comprar os helicópteros Apache e Chinook, além de Shanahan ter ajudado a desenvolver a aeronave V-22 Osprey durante as três décadas em que esteve na empresa. Entretanto, recentemente Shanahan se recusou a participar das negociações que envolvem a Boeing.

O Departamento de Defesa dos EUA havia manifestado seu desejo em adquirir 12 caças F-15X por um valor aproximado de US$ 1,2 bilhões (R$ 4,4 bilhões).

A Boeing tem beneficiado muito do governo Trump, já que a atual administração possui um grande orçamento de defesa, ressaltando que durante o primeiro ano de Donald Trump na presidência a empresa baseada em Chicago gerou uma receita de US$ 93,8 bilhões (R$ 344,1 bilhões), além de obter um lucro de aproximadamente US$ 8,9 bilhões (R$ 32,6 bilhões), totalizando US$ 5,6 bilhões (R$ 20,5 bilhões) a mais do que o lucro obtido durante a administração do presidente Barack Obama.

Com isso, a Boeing está perto de ultrapassar suas estimativas e alcançar resultados relevantes em 2018, segundo a CNBC.

Caso a Boeing não consiga obter o contrato dos F-15X no orçamento de 2020, a empresa contará com US$ 491 bilhões (R$ 1,8 trilhões) em encomendas, incluindo mais de 5.800 aeronaves comerciais.

Vale observar que o caça F-35 tem tido uma disponibilidade limitada devido aos atrasos nas linhas de produção, conforme os especialistas. Além disso, as aeronaves estão prontas para voar apenas 50% do tempo em que estão no hangar, enfatizou o diretor de testes operacionais do Pentágono.

É ressaltado ainda que a manutenção da frota de caças F-35 custa mais de US$ 1 trilhão (R$ 3,6 trilhões), valor esse que fez com que a subsecretária de Defesa para aquisição e manutenção, Ellen Lord, afirmasse que Washington "não pode pagar" os custos de manutenção dos F-35.

Todos estes fatores provavelmente contribuem para um interesse real na obtenção dos melhorados caças F-15X.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas