Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

General iraniano: Irã vai castigar severamente agressores que o atacam

Na segunda-feira (11), centenas de milhares de iranianos realizaram comícios em todo o país para celebrar o 40º aniversário da queda do regime do xá e o triunfo do aiatolá Ruhollah Khomeini, o clérigo xiita que liderou uma Revolução Islâmica que até hoje preocupa os países ocidentais.


Sputnik

As Forças Armadas de Teerã vão "punir severamente" os agressores que decidam atacar o Irã, informou a agência de notícias IRNA na segunda-feira (11), citando um porta-voz do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (CGRI) do Irã.


Os efetivos do o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (CGRI) durante um desfile militar (foto de arquivo)
Militares iranianos © AP Photo / Vahid Salemi

"O Irã islâmico chegou a um nível necessário […] para proteger suas fronteiras com capacidade militar efetiva e punir com firmeza qualquer agressor", declarou o porta-voz do CGRI, general Ramazan Sharif, durante um comício dedicado ao 40º aniversário da Revolução Islâmica.

Em 11 de fevereiro de 1979, o aiatolá Khomeini chegou ao poder no Irã, substituindo o governo apoiado pelo Ocidente do xá Mohammad-Reza Pahlavi e transformando o país em uma república islâmica.

Não é amplamente reconhecido que o governo britânico desempenhou um papel crucial no apoio ao líder por anos antes e depois da Revolução Islâmica.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas