Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

General iraniano: Irã vai castigar severamente agressores que o atacam

Na segunda-feira (11), centenas de milhares de iranianos realizaram comícios em todo o país para celebrar o 40º aniversário da queda do regime do xá e o triunfo do aiatolá Ruhollah Khomeini, o clérigo xiita que liderou uma Revolução Islâmica que até hoje preocupa os países ocidentais.


Sputnik

As Forças Armadas de Teerã vão "punir severamente" os agressores que decidam atacar o Irã, informou a agência de notícias IRNA na segunda-feira (11), citando um porta-voz do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (CGRI) do Irã.


Os efetivos do o Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (CGRI) durante um desfile militar (foto de arquivo)
Militares iranianos © AP Photo / Vahid Salemi

"O Irã islâmico chegou a um nível necessário […] para proteger suas fronteiras com capacidade militar efetiva e punir com firmeza qualquer agressor", declarou o porta-voz do CGRI, general Ramazan Sharif, durante um comício dedicado ao 40º aniversário da Revolução Islâmica.

Em 11 de fevereiro de 1979, o aiatolá Khomeini chegou ao poder no Irã, substituindo o governo apoiado pelo Ocidente do xá Mohammad-Reza Pahlavi e transformando o país em uma república islâmica.

Não é amplamente reconhecido que o governo britânico desempenhou um papel crucial no apoio ao líder por anos antes e depois da Revolução Islâmica.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas