Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Grupo de Lima bane autoridades venezuelanas de entrarem em território de países membros

O Grupo Lima concordou em impedir que autoridades venezuelanas de alto nível entrem em território de Estados membros do grupo.


Sputnik

O Grupo Lima também suspenderá a cooperação militar com o governo venezuelano. O grupo também disse em uma declaração que vai avaliar a restrição de empréstimos ao governo venezuelano em organizações das quais os países do grupo Lima são membros.


Cúpula do Grupo de Lima não reconheceu a legitimidade do novo mantado presidencial de Nicolás Maduro na Venezuela
Reunião do Grupo de Lima © REUTERS / Mariana Bazo

Formado por 14 Estados membros, o grupo foi estabelecido em agosto de 2017 para promover reformas democráticas na Venezuela. A maioria dos países-membros criticou o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, e reconheceu o líder da oposição, Juan Guaidó, como líder interino do país.

As tensões na Venezuela aumentaram há quase duas semanas, depois que o líder da oposição Juan Guaidó se declarou presidente interino, contestando a reeleição do presidente Maduro no ano passado. Os Estados Unidos e vários outros países reconheceram rapidamente o líder da oposição como o líder legítimo do país. Rússia, China, México, Turquia, Noruega e Uruguai estão entre as nações que manifestaram seu apoio a Maduro como o chefe de Estado legitimamente eleito do país.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas