Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Crise na Venezuela: O que se sabe sobre os aviões militares russos que chegaram ao país

A chegada de dois aviões da Força Aérea russa carregados de militares e armamentos à Venezuela, no último fim de semana, gerou uma série de especulações e reacendeu o temor de uma escalada da tensão internacional.
Guillermo D. Olmo | BBC News Mundo na Venezuela

A crise no país se agrava desde janeiro deste ano, quando o líder oposicionista Juan Guaidó se autoproclamou presidente interino, acusando Nicolás Maduro de usurpar o poder por meio de eleições ilegítimas.

O cenário da Venezuela, que vem sofrendo com diversos apagões, expôs a rivalidade do país sul-americano com os Estados Unidos e seus aliados (que apoiam Guaidó); por outro lado, Rússia, Cuba e China seguem, por razões diversas, dando suporte ao governo chavista.

A presença militar russa na Venezuela foi alvo de protestos do secretário de Estado americano, Mike Pompeo - os EUA foram os primeiros a reconhecerem Guaidó como presidente interino.

Em conversa por telefone com o ministro das Relações Exteriores russo, Serguéi Lavrov, Pom…

Jihad Islâmica diz ter obtido mísseis capazes de atingir Tel-Aviv e Jerusalém

No ano passado, a organização palestina ameaçou realizar ataques em Tel-Aviv se Israel desencadear a violência contra os moradores de Gaza. A ameaça foi emitida em meio a confrontos que duraram semanas na fronteira entre Gaza e Israel, deixando mais de cem mortos e centenas de feridos.


Sputnik

Abu Hamza, o porta-voz dos batalhões de al-Quds, a ala militar da organização da Jihad Islâmica Palestina, anunciou que o grupo havia obtido mísseis capazes de chegar a Jerusalém, Tel-Aviv e a cidade costeira de Netanya com maior precisão. O anúncio veio em uma transmissão de documentário no canal de notícias al-Alam.


Membros palestinos das Brigadas Al-Quds, a ala militar do grupo Jihad Islâmica
Brigada Al-Quds © AP Photo/ Hatem Moussa

O porta-voz advertiu Tel-Aviv contra "ações estúpidas", dizendo que, de outra forma, os batalhões de al-Quds transformariam as cidades israelenses "no inferno".

"Estamos confiantes na vitória sobre Israel e este regime será destruído. Continuaremos resistindo e não daremos um passo atrás", concluiu.

Em maio de 2018, a Jihad Islâmica ameaçou Israel com a realização de ataques em Tel-Aviv se o Estado judeu desencadeasse violência contra a Faixa de Gaza. Mais tarde, no final de outubro de 2018, eles concordaram em um abrangente cessar-fogo com Tel-Aviv. Israel costuma atacar o grupo em Gaza, junto com o do Hezbollah, respondendo a lançamentos de mísseis do enclave.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas