Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

Maduro acusa EUA de fabricarem crise na Venezuela para lançar guerra na América do Sul

O presidente da Venezuela Nicolás Maduro acusou as autoridades americanas de quererem iniciar uma guerra na América do Sul.


Sputnik

"Tudo o que o governo dos EUA faz está condenado ao fracasso. Eles estão tentando fabricar uma crise para justificar a escalada política e a intervenção militar na Venezuela, a fim de trazer a guerra à América do Sul", disse Maduro em uma entrevista ao canal americano ABC News.


Nicolás Maduro, presidente da Venezuela
Nicolás Maduro | Juan Barreto/AFP

Segundo Maduro, os EUA querem se apoderar do petróleo venezuelano e "estão dispostos a entrar em guerra por esse petróleo".

"O governo extremista da Ku Klux Klan dirigido por Donald Trump quer a guerra por causa do petróleo e não só por causa do petróleo", disse ele, descrevendo a Venezuela como um "país pacifista e humilde" e sublinhando que está pronto para um diálogo direto com o governo americano.

A tensão política na Venezuela aumentou desde que em 23 de janeiro o líder da oposição Juan Guaidó se declarou presidente interino do país.

Os EUA e vários países da Europa e América Latina, inclusive o Brasil, reconheceram Guaidó como presidente interino do país. Rússia, China, Cuba, Bolívia, Nicarágua, Turquia, México, Irã e muitos outros países manifestaram seu apoio a Maduro como presidente legítimo do país e exigiram que os outros países respeitem o princípio de não interferência nos assuntos internos do país latino-americano.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas