Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Maduro: independência da Venezuela está sendo destruída sob manto da ajuda humanitária

Anteriormente, Maduro havia descartado a promessa dos EUA de enviar ajuda humanitária para o país, alegando estar sofrendo um "golpe político" e um pretexto para a invasão, já que Washington se recusou a reconhecer o governo legítimo da Venezuela, impondo sanções a Caracas.


Sputnik

"Eles estão tentando destruir a independência e soberania do país sob o pretexto de entregar ajuda humanitária. Eles estão tentando desestabilizar o nosso país, mas isso não lhes trouxe nenhum sucesso", ressaltou o presidente venezuelano.


Nicolás Maduro, presidente de Venezuela
Nicolás Maduro © REUTERS / Adriana Loureiro

Maduro confirmou que está pronto para realizar eleições parlamentares antecipadas no país, a fim de acabar com a crise política em curso.

"Eu proponho eleições antecipadas para a Assembleia Nacional, e vou ratificá-las", disse Maduro a repórteres, acrescentando que gostaria de "ver as pessoas votando em uma nova Assembleia Nacional que ajudará o país e contribuirá para sua estabilização".

Ele também disse que Caracas está pronta para apoiar o "mecanismo de Montevidéu" ou qualquer outra iniciativa que vise contribuir para o diálogo na Venezuela. Maduro rejeitou, no entanto, os grupos de contato apoiados pela União Europeia, classificando-os como tendenciosos, afirmando que o bloco é "surdo", já que não ouve a Venezuela.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas