Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Maduro: independência da Venezuela está sendo destruída sob manto da ajuda humanitária

Anteriormente, Maduro havia descartado a promessa dos EUA de enviar ajuda humanitária para o país, alegando estar sofrendo um "golpe político" e um pretexto para a invasão, já que Washington se recusou a reconhecer o governo legítimo da Venezuela, impondo sanções a Caracas.


Sputnik

"Eles estão tentando destruir a independência e soberania do país sob o pretexto de entregar ajuda humanitária. Eles estão tentando desestabilizar o nosso país, mas isso não lhes trouxe nenhum sucesso", ressaltou o presidente venezuelano.


Nicolás Maduro, presidente de Venezuela
Nicolás Maduro © REUTERS / Adriana Loureiro

Maduro confirmou que está pronto para realizar eleições parlamentares antecipadas no país, a fim de acabar com a crise política em curso.

"Eu proponho eleições antecipadas para a Assembleia Nacional, e vou ratificá-las", disse Maduro a repórteres, acrescentando que gostaria de "ver as pessoas votando em uma nova Assembleia Nacional que ajudará o país e contribuirá para sua estabilização".

Ele também disse que Caracas está pronta para apoiar o "mecanismo de Montevidéu" ou qualquer outra iniciativa que vise contribuir para o diálogo na Venezuela. Maduro rejeitou, no entanto, os grupos de contato apoiados pela União Europeia, classificando-os como tendenciosos, afirmando que o bloco é "surdo", já que não ouve a Venezuela.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas