Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Maduro: independência da Venezuela está sendo destruída sob manto da ajuda humanitária

Anteriormente, Maduro havia descartado a promessa dos EUA de enviar ajuda humanitária para o país, alegando estar sofrendo um "golpe político" e um pretexto para a invasão, já que Washington se recusou a reconhecer o governo legítimo da Venezuela, impondo sanções a Caracas.


Sputnik

"Eles estão tentando destruir a independência e soberania do país sob o pretexto de entregar ajuda humanitária. Eles estão tentando desestabilizar o nosso país, mas isso não lhes trouxe nenhum sucesso", ressaltou o presidente venezuelano.


Nicolás Maduro, presidente de Venezuela
Nicolás Maduro © REUTERS / Adriana Loureiro

Maduro confirmou que está pronto para realizar eleições parlamentares antecipadas no país, a fim de acabar com a crise política em curso.

"Eu proponho eleições antecipadas para a Assembleia Nacional, e vou ratificá-las", disse Maduro a repórteres, acrescentando que gostaria de "ver as pessoas votando em uma nova Assembleia Nacional que ajudará o país e contribuirá para sua estabilização".

Ele também disse que Caracas está pronta para apoiar o "mecanismo de Montevidéu" ou qualquer outra iniciativa que vise contribuir para o diálogo na Venezuela. Maduro rejeitou, no entanto, os grupos de contato apoiados pela União Europeia, classificando-os como tendenciosos, afirmando que o bloco é "surdo", já que não ouve a Venezuela.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas