Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Como governo Trump esvaziou resolução da ONU contra estupro em guerras

A oposição do presidente americano, Donald Trump, à legalização do aborto levou ao esvaziamento de uma resolução das Nações Unidas contra o uso de violência sexual como arma de guerra.
BBC News Brasil

Os Estados Unidos retiraram todas as referências a "saúde sexual e reprodutiva" do texto, o que, na prática, reduz o peso da resolução. O documento havia sido submetido pela Alemanha ao Conselho de Segurança da ONU. Estados Unidos, China e Rússia ameaçaram vetá-lo, se fosse mantida a redação original.

O governo Trump se opôs às menções à "saúde sexual e reprodutiva" das mulheres, com o argumento de que esse termo indica apoio ao aborto. Uma versão da resolução que exclui essa frase foi aprovada por 13 votos a 0, com abstenções de Rússia e China.

O embaixador da França nas Nações Unidas, François Delattre, criticou a exclusão do trecho, dizendo que a decisão afeta a dignidade das mulheres.

"É intolerável e incompreensível que o Conselho de Segurança da ONU seja incapaz…

Marinha dos EUA se despede dos caças F/A-18C Hornet

O Strike Fighter Squadron (VFA) 34, organizou a cerimônia de despedida e sobrevoo do antigo F/A-18C Hornet na Naval Air Station Oceana em Virginia Beach, Virgínia, em 1 de fevereiro.


Poder Aéreo

Membros do serviço ativo, liderança em aviação, mídia local e visitantes compareceram para comemorar os 35 anos de serviço ativo da aeronave na frota.


F/A-18C Hornet | Reprodução

“Hoje a nossa família VFA-34 faz as despedidas operacionais a um velho amigo”, disse o comandante do VFA-34, William Mathis. Nascido há mais de 40 anos, o Hornet entrou em serviço operacional para a Marinha dos EUA em 1984 e, nos 35 anos seguintes, serviu orgulhosamente ao país a partir do convés de voo de porta-aviões em todos os mares do mundo.”

O F/A-18 Hornet entrou em serviço operacional para a frota em 1984. A primeira missão de combate da aeronave foi em 1986 durante a Operação El Dorado Canyon e o Hornet continuou a servir em todas as principais operações militares dos EUA, incluindo a Guerra do Golfo, Guerra do Iraque, Enduring Freedom, Iraqi Freedom, Inherent Resolve e mais recentemente serviu em 2018 a partir do convés de voo do USS Carl Vinson (CVN 70) com o Strike Fighter Squadron (VFA) 34.

Os Blue Blasters do VFA-34 foram o último esquadrão da Marinha dos EUA a voar no Hornet, mais recentemente juntando-se ao USS Carl Vinson (CVN 70) para realizar patrulhas da Liberdade de Navegação no Mar do Sul da China em 2018.

O F/A-18C Hornet está sendo substituído pelo F/A-18E Super Hornet, que é capaz de executar as mesmas missões que o Hornet, mas com avanços significativos em sistemas de missão que aumenta drasticamente sua eficácia.

“O Hornet é conhecido por muitas coisas”, disse o comandante Mathis: “legado, aeronave de ataque altamente confiável, multi-função… mas para nós, ele sempre será um velho amigo. O Hornet continuará a servir com o Corpo de Fuzileiros Navais (USMC) e unidades de apoio da Marinha, mas para a Marinha operacional, é hora de dizer adeus. Assim, dos homens e mulheres que voaram e mantiveram o lendário F-18 Hornet, agradecemos pelo seu serviço e trabalho bem feito.”

FONTE: Marinha dos EUA

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas