Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

'Não é hora de diálogo, é hora de ação', diz Mike Pence sobre a Venezuela

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, disse durante discurso, nesta sexta-feira (1), que a atual situação na Venezuela requer mais ação e menos diálogo.


Sputnik

"Essa não é a hora de diálogo, é hora da ação", disse Pence durante um encontro com exilados venezuelanos em Miami.


O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, gesticula durante o evento de criação da Força Espacial dos EUA.
Mike Pence © AP Photo / Evan Vucci

Ele acrescentou que Washington está trabalhando em direção a uma "transição pacífica" no país sul-americano.

A Venezuela vive uma crise política cuja pressão cresceu após o líder da oposição, Juan Guaidó, autoproclamar-se presidente interino do país, em 23 de janeiro.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, reeleito em 2018, acusou os EUA de orquestrar um golpe contra seu governo após os norte-americanos, ao lado de alguns de seus aliados, como Argentina, Colômbia e Brasil, reconhecerem Guaidó como presidente interino.

Por outro lado, México, Rússia, China, Turquia, Uruguai e outros países mantiveram apoio ao presidente Nicolás Maduro.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas