Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Pence alega que Irã trama 'outro Holocausto' para eliminar Israel do mapa

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, considera que o Irã é "a maior ameaça à paz e à segurança" na região, além de afirmar que Teerã conspira para "apagar Israel do mapa".


Sputnik

Sua declaração foi efetuada durante uma importante conferência sobre o Oriente Médio na Polônia.


Resultado de imagem para Mike Pence
Mike Pence | Reprodução

"O regime autoritário de Teerã […] defende abertamente a destruição do Estado de Israel. O próprio aiatolá Khamenei disse: 'É a missão da República Islâmica do Irã apagar Israel do mapa'. Além de sua retórica odiosa, o regime iraniano defende abertamente outro Holocausto e busca os meios para alcançá-lo", disse o vice-presidente americano.

Em relação à decisão da saída americana do acordo nuclear iraniano de 2015, Pence acredita que os europeus devam fazer o mesmo.

"É uma medida precipitada que só fortalecerá o Irã, enfraquecendo a UE e criando ainda mais distância entre a Europa e os EUA […] Chegou o momento de os nossos parceiros europeus se retirarem do acordo nuclear com o Irã e se juntarem a nós enquanto exercemos a pressão econômica e diplomática necessária para dar ao povo iraniano, à região e ao mundo a paz, segurança e liberdade que merecem", adicionou.

Quanto ao 40º aniversário da Revolução Islâmica, comemorado no dia 11 de fevereiro, Pence prometeu exercer a máxima pressão sobre o país.

"Há quarenta anos, neste mês os mulás [clérigos mulçumanos] tomaram o controle daquele país […] Hoje, as sanções econômicas dos Estados Unidos contra o Irã são as mais duras da história, e serão ainda mais duras até que o Irã mude seu comportamento perigoso e desestabilizador."

Previamente, o secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo afirmou a repórteres que "confrontar o Irã" é um passo necessário para qualquer nação que queira "alcançar a paz e a estabilidade" no Oriente Médio.

Entretanto, o vice-comandante do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã, general de brigada Hossein Salami, declarou anteriormente que "a estratégia do Irã é remover o regime sionista do mapa político, e os israelenses contribuem para isso com suas atividades criminais".

A conferência sobre o Oriente Médio surge em meio às relações tumultuosas entre o Irã e Israel, com Tel Aviv preocupada com as alegadas tentativas de Teerã de expandir sua influência na região e de estabelecer uma presença militar permanente na Síria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas