Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump não precisa de autorização do Congresso para declarar guerra ao Irã, diz analista

Donald Trump pode não precisar do aval do Congresso para declarar guerra contra o Irã, algo que seus conselheiros "vêm construindo discretamente" um caso em meio a sanções crescentes, informa Jonathan Allen, da NBC News.
Sputnik

O articulista afirma que os principais elementos do plano incluem ligar a al-Qaeda ao Irã para retratar a República Islâmica como uma ameaça terrorista aos EUA, "o que é exatamente o que as autoridades do governo vêm fazendo nas últimas semanas".

"Isso poderia dar a Trump a justificativa que ele precisa para combater o Irã sob a resolução de uso de força de 2001, sem aprovação do Congresso", Allen argumenta, acrescentando que o Congresso dificilmente concederá ao presidente americano "nova autoridade para atacar o Irã nas circunstâncias atuais ”.

Os comentários do autor vêm depois que o New York Times citou vários altos funcionários norte-americanos não identificados dizendo que “[o presidente Donald] Trump foi firme em dizer que…

Primeiro emprego em combate do Embraer EMB-145 AEWACS indiano

A Índia empregou hoje um Airborne Early Warning and Control System (AEWACS) montado em uma aeronave da Embraer no ataque aéreo contra grupo terrorista baseado na Caxemira ocupada pelo Paquistão, tornando-se a primeira vez que tal sistema foi usado em combate pela Força Aérea Indiana (IAF).


Poder Aéreo

A IAF realizou nesta terça-feira ataques aéreos contra campos de terroristas em Balakot, Muzaffarabad e Chakoti, através da Linha de Controle (fronteira não oficial entre Índia e Paquistão na região de Caxemira) usando 12 aviões multifuncionais Dassault Mirage 2000 guiados por UAVs Heron e um avião AWACS Embraer EMB-145, de acordo com vários meios de comunicação.

EMB-145 AEWACS da Força Aérea Indiana

Os AEWACS da Embraer foram desdobrados para ajudar a IAF a vigiar os sistemas de defesa aérea inimigos e alertar os jatos de ataque quanto aos caças paquistaneses que poderiam ter sido utilizados para afastar os aviões Mirage da IAF.

O Sistema de Alerta Aéreo Antecipado e Controle (AEW&C) é desenvolvido pela Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa da Índia (DRDO) e pelo Centro de Sistemas Aerotransportados (CABS). É também chamado de sistema DRDO NETRA AEW&CS, comumente chamado de “olho no céu”. O sistema é montado em aeronaves Embraer EMB-145 que foram adquiridas ao custo de US$ 300 milhões (INR 21 bilhões) anos atrás.

No Twitter, muitos observadores da aviação militar afirmaram ter notado a aeronave AEW&C indiana pairando sobre Nova Delhi durante o suposto ataque e poderia ter sido usada para coordenar o ataque dos caças Mirage 2000.

O controle do sistema de missão (MSC) do sistema AEW&C incorpora todos os dados dos sensores para permitir o controle do espaço aéreo alvo.

Ele avalia ameaças usando dados recebidos dos sensores de bordo e de outras fontes e apresenta a Air Situation Picture (ASP).

O sistema é composto principalmente por um radar primário ativo de varredura eletrônica (AESA) e um radar de vigilância secundária (SSR/IFF). O SSR fornece Medidas de Suporte Eletrônico (ESM) e Medidas de Suporte à Comunicação (CSM) que identifica e classifica as ameaças com base nas emissões delas. Ele também serve como um sistema de identificação Amigo ou Inimigo. A aeronave de vigilância também é equipada com uma sonda de reabastecimento aéreo para maior autonomia (até 9 horas com um reabastecimento ar-ar).

O Radar Warning Receiver (RWR), que é integrado ao sistema ESM, Missile Approach Warning System (MAWS) e Counter Measures Dispensing system (CMDS) formam a Self Protection Suite (SPS). O Sistema de Tratamento e Exibição de Dados (DHDS) apresenta a Imagem da Situação Aérea na Estação de Trabalho do Operador (OWS) e fornece recursos de comunicação para interagir com o sistema.

O veículo aéreo não-tripulado Heron, de média altitude, da Israel Aerospace Industries (IAI) também foi usado na operação, de acordo com alguns informes da mídia.

UAV Heron

O drone Heron pode permanecer no ar até 52 horas a até 10,5 km de altitude. O UAV pode transportar diferentes tipos de sensores, câmera termográfica (infravermelho) e vigilância terrestre à luz visível, sistemas de inteligência (COMINT e ELINT) e vários sistemas de radar, totalizando até 250 kg de carga útil.

O Heron também ajuda o Exército na aquisição de alvos para armas de artilharia.

FONTE: www.defenseworld.net

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas