Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Rússia equipará sistema Iskander-M com novos tipos de mísseis

O sistema tático-operacional Iskander-M receberá novos tipos de mísseis, anunciou o coronel Roman Spirin, presidente do Conselho Técnico-Científico do Ministério da Defesa.


Sputnik

Em um futuro próximo, planeja-se criar um sistema universal de mísseis antitanque, com base em um veículo autopropulsado e multiuso, de acordo com o princípio "disparar e esquecer", permitindo lançar mísseis a partir de locais despreparados e de pequenas dimensões, bem como de posições de fogo.


Sistema de mísseis Iskander-M
Iskander-M © Sputnik / Grigory Sysoev

No final de janeiro, o chefe das Forças de Mísseis e Artilharia russas, Mikhail Matveevsky, disse que o míssil 9M729 foi criado durante a modernização do sistema de mísseis Iskander-M.

Segundo ele, o míssil 9M729 inclui equipamentos de combate de maior potência e um novo sistema de controle, proporcionando maior precisão.

É por causa deste míssil que os EUA decidiram romper o Tratado INF. Segundo Washington, ele viola os termos do acordo. Moscou considera essas acusações infundadas.

O Kremlin enfatizou que o míssil 9M729 não foi desenvolvido ou testado a distâncias que excedam o limite estabelecido no tratado.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas