Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Rússia equipará sistema Iskander-M com novos tipos de mísseis

O sistema tático-operacional Iskander-M receberá novos tipos de mísseis, anunciou o coronel Roman Spirin, presidente do Conselho Técnico-Científico do Ministério da Defesa.


Sputnik

Em um futuro próximo, planeja-se criar um sistema universal de mísseis antitanque, com base em um veículo autopropulsado e multiuso, de acordo com o princípio "disparar e esquecer", permitindo lançar mísseis a partir de locais despreparados e de pequenas dimensões, bem como de posições de fogo.


Sistema de mísseis Iskander-M
Iskander-M © Sputnik / Grigory Sysoev

No final de janeiro, o chefe das Forças de Mísseis e Artilharia russas, Mikhail Matveevsky, disse que o míssil 9M729 foi criado durante a modernização do sistema de mísseis Iskander-M.

Segundo ele, o míssil 9M729 inclui equipamentos de combate de maior potência e um novo sistema de controle, proporcionando maior precisão.

É por causa deste míssil que os EUA decidiram romper o Tratado INF. Segundo Washington, ele viola os termos do acordo. Moscou considera essas acusações infundadas.

O Kremlin enfatizou que o míssil 9M729 não foi desenvolvido ou testado a distâncias que excedam o limite estabelecido no tratado.

Comentários

Postagens mais visitadas