Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Satélite israelense capta mísseis S-300 russos supostamente prontos para disparar na Síria

Três lançadores de mísseis S-300 terra-ar de longo alcance, fabricados na Rússia, estão instalados na Síria e preparados para disparar, afirma a empresa israelense de imagens de satélite ImageSat International (iSi).


Sputnik

"Devido à atual tensão regional e à detecção dos lançadores em posição de disparo, é possível que a referida atividade indique um aumento do nível operacional e de alerta. No entanto, atualmente não está claro por que é que apenas um lançador está coberto por uma rede de camuflagem. Esta situação é rara e levanta interrogações sobre o nível operacional de toda a bateria e especificamente do lançador coberto", avaliou a empresa.


S-300 da Síria, três lançadores estão erguidos. Serão ativados?

A empresa sugere que os lançadores estejam instalados no noroeste da cidade síria de Masyaf.

No dia 20 de janeiro, um ataque aéreo israelense atingiu o que foi descrito por Tel Aviv como alvos iranianos nas proximidades do Aeroporto Internacional de Damasco. O Exército russo confirmou que as defesas aéreas sírias destruíram mais de 30 mísseis de cruzeiro e bombas guiadas ao repelir o ataque israelense.

Em outubro de 2018, Moscou concluiu a entrega dos novos sistemas de mísseis antiaéreos S-300 para Damasco, incluindo 49 unidades de equipamento como radares, sistemas básicos de aquisição de alvos, postos de comando e quatro lançadores. O fornecimento foi finalizado logo após o acidente envolvendo um avião Il-20 russo, que foi usado como escudo pela Força Aérea israelense enquanto atacava alvos na Síria e que, consequentemente, foi derrubado pelas defesas aéreas sírias.

O ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu havia anunciado em setembro medidas para reforçar a segurança dos militares russos na Síria depois do ocorrido, como resposta pela morte dos militares russos que seguiam a bordo do avião.

Comentários

Postagens mais visitadas