Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Senador: EUA estão perdendo supremacia militar frente à Rússia e China

O chefe do Comitê de Serviços Armados do Senado dos EUA, Jim Inhore, afirma que Washington está perdendo sua superioridade militar sobre os rivais e agora precisa de investimentos significativos para recuperar o atraso.


Sputnik

Em seu artigo publicado no jornal Tulsa World, o senador observa que os EUA perderam vantagem tanto em armas convencionais como em armas avançadas, incluindo a inteligência artificial, armas hipersônicas e até no uso da tecnologia de "energia dirigida".


Veículos militares dos EUA
© AFP 2018 / DANIEL MIHAILESCU

Inhore ressalta que os EUA "venceram duas guerras mundiais" devido a sua superioridade militar, acrescentando que o Pentágono possuía tantas aeronaves no final da Guerra Fria quanto a Rússia e a China juntas. No entanto, nos últimos dez anos a supremacia militar se degradou.

"Vejam o bombardeiro B-52. Estamos voando nesta aeronave por mais de 66 anos", escreve, enfatizando que, enquanto a Rússia e a China estavam evoluindo, Washington se confortou com o fato de que o seu equipamento "era muito melhor".

Segundo ele, os EUA estão ficando para trás da Rússia e da China, e essa lacuna vai aumentando devido ao financiamento insuficiente.

"Acredito que estamos na posição mais ameaçada da minha vida, e devemos priorizar nossas capacidades de defesa para impedir as ameaças que enfrentamos da China e da Rússia. O único jeito de fazer isso é investindo em manutenção e modernização, que foram negligenciadas por muito tempo", conclui.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas