Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

UE diz que 'fontes russas' são uma ameaça às eleições parlamentares do bloco em maio

O Conselho da União Europeia classificou a Rússia nesta terça-feira como uma "ameaça às eleições parlamentares livres e justas" da UE a serem realizadas em maio, citando as supostas "estratégias de desinformação" do país.


Sputnik

"As fontes e os fenômenos de desinformação podem ser identificados dentro e fora da União e são provenientes de uma série de intervenientes estatais e não estatais. A este respeito, os esforços devem visar os agentes malignos, nomeadamente as fontes russas", afirmou o Conselho da União Europeia do documento que apresentou as conclusões oficiais do bloco sobre o tema.


Flags outside the building of the European Parliament in Strasbourg
© Sputnik / Alexey Vitvitsky

O Conselho acusou fontes russas de usar cada vez mais estratégias de desinformação e sugeriu que qualquer ação contra elas deveria ser guiada por análises de ameaças e avaliações de inteligência.

Faltando menos de cem dias para a votação que elegerá os novos representantes do Parlamento Europeu, o Conselho sugeriu a ativação de uma iniciativa que busca estabelecer uma abordagem comum em relação a suspeitas de desinformação e outras práticas maliciosas que os Estados-membros acreditarem prejudicar o processo eleitoral. Entre as medidas estão o reforço da preparação para ameaças cibernéticas, a criação de uma rede de verificadores de fatos para detectar desinformação em redes sociais e a criação de um sistema de alerta rápido para compartilhar dados sobre campanhas de desinformação.

A Rússia tem repetidamente refutado as alegações de que interfere nos processos eleitorais de outros países. O enviado russo à União Europeia, Vladimir Chizhov, acusou o bloco em dezembro de culpar a Rússia por interferência antes mesmo dos preparativos para as eleições começarem.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas