Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Mourão diz que há preconceito e desinformação sobre carreira militar

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse hoje (26), ao falar sobre a reforma da Previdência, que há preconceito e desinformação sobre a carreira militar.
Por Vitor Abdala | Agência Brasil

A afirmação foi feita durante evento da Fundação Cultural do Exército, no Rio de Janeiro.

"Estamos vivendo essa primeira fase do nosso governo, onde o objetivo primordial é que a gente consiga realizar a nova Previdência. Ela atinge tanto o público civil como o público militar. Existe, por outro lado, uma série de preconceitos, desinformação e falta de conhecimento sobre as peculiaridades da profissão militar", disse, em depoimento à TV NBR.

A proposta de reforma do sistema de proteção social prevê superávit de R$ 97,3 bilhões em dez anos. Mas como foi apresentada uma reestruturação da carreira militar que custará mais R$ 86,85 bilhões aos cofres públicos no período, o superávit será de apenas R$ 10,45 bilhões.

Estado-Maior: Rússia está pronta para prevenir quaisquer estratégias militares dos EUA

O Pentágono começou a desenvolver sua nova estratégia de operações militares "cavalo de Troia". Nessa conexão, o Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia afirmou que o país está pronto para prevenir quaisquer estratégias militares norte-americanas.


Sputnik

A nova estratégia prevê o uso ativo do potencial de protesto de uma "quinta coluna" para desestabilizar a situação e, ao mesmo tempo, atacar com armas de alta precisão os objetivos mais importantes da infraestrutura inimiga, revelou no sábado (2) o primeiro vice-ministro da Defesa da Rússia, general de exército Valery Gerasimov.


Imagem relacionada
Valery Gerasimov | Reprodução

"O Pentágono deu início ao desenvolvimento de uma estratégia completamente nova de operações militares, que já foi denominada 'Cavalo de Troia'. Sua ideia principal consiste no uso ativo do potencial de protesto de uma 'quinta coluna' para desestabilizar a situação e simultaneamente atacar com armas de alta precisão os objetivos mais importantes", declarou o alto responsável militar.

"Queria apontar que a Federação da Rússia está pronta para prevenir qualquer dessas estratégias. Nos últimos anos, os cientistas militares têm conseguido, em conjunto com o Estado-Maior, desenvolver as abordagens conceptuais para neutralizar as ações agressivas de possíveis adversários", sublinhou.

Entretanto, Gerasimov afirmou que hoje Washington continua estendendo sua presença militar às proximidades das fronteiras russas, a várias partes do mundo, inclusive com militarização do espaço. Na opinião dele, a Rússia tem que tomar medidas idênticas e assimétricas para não permitir o aumento de tensões no mapa político.

Ao mesmo tempo, o primeiro vice-ministro da Defesa russo indicou que a "resposta" da Rússia baseia-se na "estratégia de defesa ativa", que prevê a neutralização preventiva das ameaças à segurança do país.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas