Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Homenagem aos militares que tombaram no Destacamento do Traíra em 1991

No dia 26 de fevereiro, foi realizada, na sede do Comando de Fronteira Solimões e 8º Batalhão de Infantaria de Selva (Cmdo Fron Solimões/8º BIS) e nos seus Pelotões Especiais de Fronteira (PEF), a tradicional e ícone cerimônia em homenagem aos heróis que tombaram no Destacamento do Traíra em 1991.


Forças Terrestres

Tabatinga (AM) – A solenidade marcou os 28 anos da tragédia em que três militares do Batalhão foram covardemente mortos após um ataque surpresa, às margens do Rio Traíra, por guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). Após essa traiçoeira ação em território brasileiro, foi desencadeada uma grande operação conjunta e combinada, envolvendo as Forças Armadas brasileiras e tropas da Colômbia, a chamada “Operação Traíra”.


A ação foi coroada de êxito, resgatando o material do Destacamento levado pelas FARC e capturando vários dos seus membros que participaram das mortes dos nossos três combatentes.

Os Soldados Sidimar Fonseca Moraes, Sansão Ramos Gonçalves e Aldemir Lopes de Almeida não pereceram em vão e jamais serão esquecidos. Levaram a “ferro e fogo” o juramento à Bandeira Nacional, em que todo militar do Exército Brasileiro declama, solenemente, ao transpor os portões da caserna: “…e defender a Pátria, se preciso for, com o sacrifício da própria vida”. Defenderam a Pátria e “combateram o bom combate”!

Prestigiaram a distinta cerimônia militares da reserva que pertenceram ao antigo Destacamento do Traíra, além das famílias dos falecidos em combate e autoridades civis, eclesiásticas e militares locais.

FONTE: Agência Verde-Oliva

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas