Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

Mulheres são maioria entre novos alunos do Curso de Formação de Sargentos de Juiz de Fora

O Curso de Formação de Sargentos em Juiz de Fora apresentou um aumento significativo de mulheres em busca da carreira militar. A Sputnik Brasil conversou com o Centro de Comunicação Social do Exército sobre a presença feminina nos serviços militares.


Sputnik

86 alunos de todo o Brasil, sendo 54 mulheres, iniciaram neste mês o Curso de Formação de Sargentos do 4.° Grupo de Artilharia de Campanha Leve, em Juiz de Fora, MG. 


Desfile cívico-militar do 7 de setembro na Avenida Presidente Vargas, centro do Rio de Janeiro
Militares brasileiras | Fernando Frazão/ Agência Brasil

O Centro de Comunicação Social do Exército, em nota à Sputnik Brasil, comentou que as tarefas executadas pelas mulheres no Curso de Formação de Sargentos não têm distinção das atividades dos homens.

"Atualmente no universo das praças [sargentos], as mulheres podem ingressar como militares de carreira ou temporárias. Como militares temporárias, de acordo com a necessidade de cada Região Militar, o ingresso pode ser nas diversas áreas previstas na Portaria 171-DGP, de 8 de julho de 2009, que aprova as áreas e Habilitações Técnicas de Interesse do Exército destinadas a Oficiais e Sargentos do Serviço Técnico Temporário", informou o Exército.

Assim, a instituição afirma que "em qualquer das situações de ingresso as tarefas executadas são as mesmas dos homens, de acordo com a formação ou habilitação técnica, não havendo distinção de gênero".

O Centro de Comunicação Social do Exército observou também que as mulheres ocupam cargos de chefia na unidade.

"Geralmente em setores administrativos, de saúde, jurídico, de tecnologia da informação e outros, cabendo ressaltar que a chefia é prerrogativa dos militares do segmento feminino que ingressaram como oficiais", diz a nota.

De acordo com os dados fornecidos pelo Exército, houve um crescimento significativo da participação feminina no efetivo nos últimos anos. O número de mulheres praticamente dobrou nos últimos 10 anos. Em 2008, o número de mulheres no efetivo total (oficiais e praças) era de 5.529, aumentando para 10.978 em 2018.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas