Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: Brasil poderia se tornar 'vigilante' dos EUA na América Latina

O presidente norte-americano, Donald Trump, referiu a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN. O analista russo Pavel Feldman avaliou a possibilidade de entrada do Brasil na aliança, bem como que papel poderia desempenhar o Brasil no conflito na Venezuela.
Sputnik

Durante a visita oficial do presidente do Brasil Jair Bolsonaro aos EUA, foram discutidos os assuntos internacionais mais importantes, entre eles a cooperação bilateral entre os EUA e o Brasil e a situação na Venezuela.


Uma das declarações mais sensacionais foi a possibilidade de entrada do Brasil na OTAN, referida pelo presidente dos EUA Donald Trump.

O vice-diretor do Instituto de Estudos Estratégicos e Prognósticos da Universidade Russa da Amizade dos Povos, Pavel Feldman, revelou em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik que os EUA são apenas um dos países da OTAN, há outros países cuja opinião deveria ser levada em conta nesse assunto.

Segundo ele, se o Brasil aderir à OTAN ele vai desempenhar o papel de vigilante d…

Pentágono: EUA testarão novos mísseis convencionais após saída do tratado nuclear

Os Estados Unidos estão preparados para testar mísseis convencionais lançado a partir do solo em meio à sua retirada do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário, conhecido como Tratado INF, disse a tenente-coronel Michelle Baldanza, porta-voz do Pentágono, à Sputnik nesta sexta-feira.


Sputnik

"No caso improvável de a Rússia retornar ao cumprimento total e verificável antes do final do período de seis meses, rescindiremos nossa suspensão e a retirada planejada do Tratado. Mas, sem essa mudança na conduta da Rússia, nossa decisão de retirar-se do Tratado permanecerá e o Tratado terminará", disse Baldanza.


Imagem relacionada
Donald Trump | AFP

"Devemos estar preparados para esta eventualidade. Nossos preparativos ao longo destas linhas incluem planos para testar um míssil convencional lançado do solo".

De acordo com relatos recentes da mídia, Washington está planejando testar mísseis, anteriormente proibidos sob o tratado INF, no final deste ano. Novos mísseis de cruzeiro podem ser utilizados dentro de 18 meses, de acordo com relatórios.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas