Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Pequim planeja construir 'base estratégica de logística e serviços' no mar do Sul da China

As autoridades chinesas têm planos de instalar um assentamento militar em uma das Ilhas Paracel contestadas, de acordo com a mídia.


Sputnik

Na sexta-feira (15), o Comitê Municipal de Sansha do Partido Comunista anunciou um plano para construir uma "cidade na ilha" de Woody Island, que faz parte das Ilhas Paracel. A iniciativa tornaria a ilha, junto com a Tree Island e a Drummond Island, em uma "base estratégica nacional de logística e serviços". 


Sansha, part of Hainan province, was established on Woody Island by the Chinese government in 2012. Photo: Handout
Sansha, part of Hainan province, was established on Woody Island by the Chinese government in 2012. Photo: Handout


Segundo a edição South China Morning Post, a declaração apontou para a necessidade de "planejar cuidadosamente o desenvolvimento geral das ilhas e recifes se baseando em suas funções diferentes, levando em consideração sua relação complementar".

Com uma área de apenas 2,6 km², a Woody Island é o centro administrativo da prefeitura de Sansha, estabelecida em 2012 para governar as Ilhas Paracel. Uma grande parte do território da ilha é ocupada pela pista de pouso, capaz de abrigar a maior parte dos aviões do Exército de Libertação Popular da China.

Em maio do ano passado, em Washington, um relatório intitulado Iniciativa Asiática para a Transparência Marítima apontou que, em Woody Island, a China segue um plano estabelecido, que depois prosseguirá em outras ilhas: a construção de um porto para posterior construção de um aeródromo, construção de hangares, infraestrutura de comunicação e radares, e finalmente o posicionamento de mísseis antiaéreos e antinavio.

"Podemos olhar para os desenvolvimentos recentes em Woody Island como sinais de atividades posteriores que ocorrerão nos recífes Fiery Cross, Mischief e Subi", apontou o relatório.

Pequim reivindica a soberania sobre 90% do mar do Sul da China, inclusive sobre as Ilhas Paracel, porém, estas são disputadas por várias outras nações do Sudeste Asiático. Os EUA e seus aliados, como o Reino Unido e o Japão, insistem em seu direito de liberdade de navegação na zona, ignorando os protestos por parte da China durante a passagem de suas embarcações militares.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas