Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares revelam como suas vidas foram destruídas pelo Exército dos EUA

O Twitter oficial do Exército dos EUA realizou uma pesquisa para averiguar como o serviço impactou a vida de seus militares.
Sputnik

Atualmente, mais de 9.000 pessoas já compartilharam suas opiniões. Apesar de constatarem que o serviço no Exército fortalece fisicamente e emocionalmente as pessoas, dando algum sentido às suas vidas e abrindo perspectivas profissionais, há muitos outros comentários com declarações céticas e críticas sobre a influência do Exército dos EUA no mundo, no país e na sua vida pessoal.

Várias pessoas compartilharam histórias de seus familiares que cometeram suicídio, sofreram de transtorno por estresse pós-traumático, passaram por mudanças radicais de caráter e comportamento ou deixaram de ser saudáveis depois de participarem em ações militares dos EUA.

Além disso, há aqueles cujos familiares ou eles próprios foram abusados durante o serviço.

Outros usuários recordaram que os horrores da guerra deixam cicatrizes na mente.

Diversos outros usuários da rede social compa…

Porta-aviões francês sai em missão de seis meses para o Oriente Médio e o Extremo Oriente

A ministra das Forças Armadas, Florence Parly, visitou hoje o porta-aviões Charles de Gaulle, ao largo de Toulon, na despedida para um desdobramento operacional que vai durar vários meses.


Poder Naval

O destacamento do grupo de aviação naval (GAN), conhecido como Missão Clemenceau, permitirá participar nas operações aeromarítimas no Mediterrâneo Oriental e no Levante, para aumentar o conhecimento das zonas de trânsito, reforçar a cooperação europeia e nutrir as parcerias estratégicas que a França mantém no Oriente Próximo e Médio, bem como no Oceano Índico.


Porta-aviões Charles De Gaulle

Depois de 18 meses em um estaleiro para grande reforma técnica, especialmente para a reforma de seu sistema de armas, mais de 2.000 mulheres e homens embarcarão no Charles de Gaulle, que agora pode acomodar 30 aeronaves de combate Rafale e dois aviões Hawkeye de alerta aéreo antecipado e controle.

O GAN também inclui uma fragata de defesa aérea, uma fragata multimissão, um navio de comando e abastecimento, e um submarino nuclear de ataque. O grupo também será reforçado durante toda a missão por navios de diferentes marinhas aliadas, incluindo navios de escolta portugueses, dinamarqueses, britânicos, italianos, australianos e americanos, proporcionando uma grande oportunidade para reforçar a sua interoperabilidade.

Como parte de sua missão primordial de proteger a população francesa, o GAN integrará por um mês a coalizão internacional contra o Daesh, dentro de seu componente francês, conhecido como Operação Chammal. Isso permitirá que a França melhore seu conhecimento sobre o ambiente estratégico e fortaleça suas parcerias no Golfo e no Oceano Índico por meio de vários exercícios com nações vizinhas.

Finalmente, de Toulon a Singapura, onde atracará na época do diálogo Shangri-La, o GAN participará da influência internacional da França, afirmando seu status como potência marítima.

A ministra das Forças Armadas conversou com a tripulação do Charles de Gaulle hoje, às 11h, em Toulon, para desejar um mar calmo e bons ventos para seus dois mil marinheiros.

FONTE: Ministério das Forças Armadas Francesas

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas