Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares revelam como suas vidas foram destruídas pelo Exército dos EUA

O Twitter oficial do Exército dos EUA realizou uma pesquisa para averiguar como o serviço impactou a vida de seus militares.
Sputnik

Atualmente, mais de 9.000 pessoas já compartilharam suas opiniões. Apesar de constatarem que o serviço no Exército fortalece fisicamente e emocionalmente as pessoas, dando algum sentido às suas vidas e abrindo perspectivas profissionais, há muitos outros comentários com declarações céticas e críticas sobre a influência do Exército dos EUA no mundo, no país e na sua vida pessoal.

Várias pessoas compartilharam histórias de seus familiares que cometeram suicídio, sofreram de transtorno por estresse pós-traumático, passaram por mudanças radicais de caráter e comportamento ou deixaram de ser saudáveis depois de participarem em ações militares dos EUA.

Além disso, há aqueles cujos familiares ou eles próprios foram abusados durante o serviço.

Outros usuários recordaram que os horrores da guerra deixam cicatrizes na mente.

Diversos outros usuários da rede social compa…

Rússia construiu 710 mil m² de infraestrutura militar no Ártico, revela ministro da Defesa

A Rússia construiu mais de 470 instalações abrangendo 710 mil metros quadrados no Ártico nos últimos seis anos, revelou o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu.


Sputnik

"No total, 475 instalações com uma área de mais de 710.000 metros quadrados foram erguidas na Ilha Kotelny do Ártico, Alexandra Land, Ilha Wrangel e Cabo Schmidt durante seis anos", disse Shoigu durante uma reunião do Comitê de Defesa da Rússia da Duma de Estado.


Base do Ministério da Defesa da Rússia no Ártico
Base da Rússia no Ártico © Foto : Vadim Savitsky/Ministério da Defesa da Rússia

As instalações abrigam militares e equipamentos, explicou Shoigu.

Moscou tem impulsionado ativamente suas capacidades na região do Ártico, erguendo bases militares, lançando quebra-gelos e aumentando as defesas aéreas e costeiras. O país também testou várias vezes sistemas de armas especificamente projetados para serem implantados na parte norte da Terra.

Além da Rússia, há muitos outros atores internacionais que expressam seu interesse pelo Ártico. Um deles é os Estados Unidos, que também está aumentando suas atividades militares na área. No final de 2018, surgiram relatos de que Washington estava de olho em reabrir uma base naval Adak da época da Guerra Fria nas Ilhas Aleutas. A instalação, situada nas proximidades da fronteira nordeste da Rússia, esteve operacional entre 1942 e 1997.

Moscou sublinhou repetidas vezes que o Ártico é uma área onde os países membros do Conselho do Ártico (Canadá, Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega, Rússia, Suécia e Estados Unidos) devem trabalhar por um diálogo construtivo e uma parceria livre de conflitos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas