Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

EUA definem força de elite iraniana como organização terrorista

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, designou a Guarda Revolucionária do Irã como um grupo terrorista estrangeiro nesta segunda-feira, uma medida inédita que aumenta a tensão no Oriente Médio.


Lesley Wroughton | Reuters

Washington - O Irã considerou a medida ilegal e alertou inicialmente que adotaria ações recíprocas contra Washington por sua medida contra a força de elite, que é a organização de segurança mais poderosa do país. Posteriormente, o Conselho Supremo de Segurança do Irã designou as forças militares norte-americanas como organização terrorista, informou a TV estatal.

Resultado de imagem para Militares da Guarda Revolucionária do Irã durante exercícios no Golfo Pérsico
Militares da Guarda Revolucionária do Irã durante exercícios no Golfo Pérsico 22/12/2018 Hamed Malekpour/Agência Tasnim via REUTERS

É a primeira vez que os EUA identificam os militares de outra nação formalmente como um grupo terrorista.

“A IRGC é o meio principal do governo iraniano para direcionar e implantar sua campanha terrorista global”, disse Trump em um comunicado.

A designação “deixa claros os riscos de fazer negócios com, ou oferecer apoio, à IRGC”, afirmou. “Se você estiver fazendo negócios com a IRGC, estará financiando o terrorismo”.

Críticos alertaram que a decisão pode expor autoridades militares e de inteligência norte-americanas a ações semelhantes de governos hostis. Os EUA já colocaram dezenas de entidades e pessoas em listas negras devido às suas filiações à Guarda Revolucionária, mas não a organização como um todo.

O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, um crítico contundente do Irã, vem pressionando por uma mudança de diretriz que é parte do endurecimento do governo Trump com Teerã. Pompeo disse em uma coletiva de imprensa que a designação entrará em vigor em uma semana.

O anúncio vem pouco antes do primeiro aniversário da decisão de Trump de retirar os EUA de um acordo nuclear firmado com Teerã em 2015 e retomar sanções que prejudicaram a economia iraniana.

Criada após a Revolução Islâmica de 1979 para proteger o sistema clerical xiita, a IRGC controla muitos setores da economia e tem enorme influência no sistema político do Irã.

Ela está a cargo dos mísseis balísticos e do programa nuclear da nação – Teerã alertou que tem mísseis com alcance de até 2 mil quilômetros, o que coloca bases militares de Israel e dos EUA na região dentro de seu raio de ação.

Kit Sobrevivência (Pote) - Mundo do militar

Kit Sobrevivência (Pote) - Mundo do militar

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas