Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

EUA podem manter sua supremacia naval perante a China?

A Marinha chinesa está crescendo rapidamente e em um curto período de tempo já é considerada como a segunda maior potência marítima.


Sputnik

Os fatos indicam que os chineses continuam crescendo décadas após décadas e, consequentemente, estão desafiando a supremacia naval norte-americana.

Quatro submarinos da Marinha chinesa e outros navios de guerra em uma parada militar internacional celebrando os 60 anos de fundação do Exército e Marinha de Libertação Popular chineses em 23 de abril de 2009 em Qingdao na província de Shandong
© AFP 2019 / POOL / Guang Niu

Há 30 anos ninguém imaginaria que os chineses pudessem desafiar as capacidades dos EUA, contudo, eles deixaram muito claro que podem fazer isso. Com um progresso tão visível, a China continua incrementando cuidadosamente seus novos modelos e equipamentos navais, comenta a revista The National Interest.

Pequim iniciou seu progresso com a produção de seus próprios navios, mesmo dependendo de tecnologias de terceiros para seus armamentos. Entretanto, mesmo adquirindo produtos de outros países, a China continuou com seu objetivo e elevou as capacidades de produção e desenvolvimento de novas tecnologias.

A força crescente da China pode ser demonstrada pelo rápido desenvolvimento dos modelos da fragata Tipo 054A, do submarino Tipo 039A, do destróier Tipo 052D e da corveta Tipo 056. Com isso, a modernização da frota chinesa deve acontecer nos próximos dois anos, expandindo consideravelmente suas forças e capacidades.

Além disso, nos próximos 10 anos a China pretende construir a próxima geração de submarinos nucleares, além de novos tipos de porta-aviões com sistemas de catapulta e expandir sua frota de navios anfíbios.

A China possui um plano naval para superar os EUA e controlar o Pacífico ocidental até 2030, e por isso o gigante asiático está recuperando o atraso de uma geração através de um desenvolvimento impressionante.

Segundo especialistas norte-americanos, a China terá mais embarcações do que os EUA após 2030 e, mesmo que os EUA tentem melhorar sua tecnologia militar, a China não deverá encontrar dificuldades, já que o país está cada vez mais próximo de alcançar os norte-americanos.

Pequim está reforçando suas forças regionais para obter controle estratégico do Mar da China Meridional e quer desenvolver uma força naval para competir com outras potências marítimas, e dificilmente os EUA conseguirão manter sua supremacia, já que atualmente os norte-americanos não possuem poder financeiro para evitar o domínio chinês.

Capa de Chuva Motoqueiro Piraval Nylon Emborrachado Impermeável Preta Tamanho G

Capa de Chuva Motoqueiro Piraval Nylon Emborrachado Impermeável Preta Tamanho G

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas