Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump não precisa de autorização do Congresso para declarar guerra ao Irã, diz analista

Donald Trump pode não precisar do aval do Congresso para declarar guerra contra o Irã, algo que seus conselheiros "vêm construindo discretamente" um caso em meio a sanções crescentes, informa Jonathan Allen, da NBC News.
Sputnik

O articulista afirma que os principais elementos do plano incluem ligar a al-Qaeda ao Irã para retratar a República Islâmica como uma ameaça terrorista aos EUA, "o que é exatamente o que as autoridades do governo vêm fazendo nas últimas semanas".

"Isso poderia dar a Trump a justificativa que ele precisa para combater o Irã sob a resolução de uso de força de 2001, sem aprovação do Congresso", Allen argumenta, acrescentando que o Congresso dificilmente concederá ao presidente americano "nova autoridade para atacar o Irã nas circunstâncias atuais ”.

Os comentários do autor vêm depois que o New York Times citou vários altos funcionários norte-americanos não identificados dizendo que “[o presidente Donald] Trump foi firme em dizer que…

2 destróieres dos EUA se aproximam das ilhas disputadas no mar do Sul da China

Dois navios da Marinha dos EUA passaram nas proximidades das disputadas Ilhas Spratly, no mar do Sul da China, informou a mídia, citando um representante da Marinha norte-americana.


Sputnik
De acordo com a agência Reuters, os destróieres USS Preble e USS Chung-Hoon passaram a uma distância de 12 quilômetros dos recifes de Gaven e Johnson do arquipélago Spratly.

USS Preble, destróier dos EUA
USS Preble | CC BY-SA 2.0 / Marinha dos EUA / 100929-N-4281P-100

Segundo afirmou o representante da Sétima Frota da Marinha dos EUA, Clay Doss, a passagem foi realizada no âmbito de uma operação que visa garantir a liberdade de navegação.

Em particular, a fonte da agência indicou que a "passagem inofensiva" teve como objetivo "contestar as reivindicações marítimas excessivas e preservar o acesso a vias navegáveis de acordo com o direito internacional".

Recentemente, a agência Reuters, citando militares de alto escalão da Frota do Pacífico dos EUA, relatou a passagem de outros dois navios de guerra, o USS William Lawrence e o USS Stethem pelo estreito de Taiwan, ocasionando protesto de Pequim.

A China reivindica o direito de construir instalações militares no arquipélago Spratly, composto por um grande número de pequenas ilhas e recifes espalhados em uma área de mais de 400 mil km².

A região é disputada por China, Filipinas, Malásia, Taiwan e Vietnã, que ocuparam algumas das ilhas e reivindicam parte ou a totalidade do território. Além disso, Brunei também está presente em alguns recifes do arquipélago, no entanto, não reivindicou direitos.

Em 2016, a Corte Internacional de Arbitragem de Haia determinou não haver base legal para as reivindicações apresentadas por Pequim na zona marítima compreendida dentro da "linha de novos pontos" no mar do Sul da China. Além disso, determinou que Spratly não são ilhas e não constituem uma zona econômica exclusiva. Entretanto, a China não reconhece e não aceita o parecer de Haia.

China - Origens da Humanidade - Aduaneiras

China - Origens da Humanidade - Aduaneiras

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas