Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Irã ameaça romper limite de reservas de urânio; entenda o que país pode fazer se sair de acordo nuclear

Sem regulação, país pode adotar equipamentos mais modernos e rápidos e ampliar volume de enriquecimento de material que pode ser usado em armas nucleares. Acordo foi firmado em 2015 entre Irã e mais seis países, mas Trump retirou EUA em maio de 2018.
Associated Press

O Irã anunciou que irá exceder o limite de reservas de urânio determinado pelo acordo nuclear de 2015, ampliando as tensões no Oriente Médio.

O prazo de 27 de junho dado por Teerã vem antes de outra data limite, 7 de julho, para que a Europa apresente melhores termos para que o país permaneça no acordo. Se essa segunda data passar sem nenhuma ação, o presidente iraniano Hassan Rouhani diz que a república islâmica irá provavelmente retomar o alto enriquecimento de urânio.

Veja a seguir em que situação está o programa nuclear do Irã atualmente:

O acordo nuclear

O Irã fechou um acordo nuclear em 2015 com Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China. O acordo, formalmente conhecido como Plano de Ação Conjunto Abran…

EUA alertam que Índia pode sofrer 'sérias implicações' se comprar sistema russo S-400

Os EUA lembraram novamente à Índia as possíveis consequências se o país asiático prosseguir com a compra do sistema russo de defesa antimísseis S-400, apesar da firme postura de Nova Déli em preservar o acordo.


Sputnik

A Rússia e a Índia selaram um acordo de US$ 5 bilhões em 2015 pelos S-400. Desde então, os EUA têm pressionado a Índia a comprar equipamentos americanos, oferecendo mísseis Patriot e THAAD como alternativa.

Sistema de mísseis de defesa aérea S-400
S-400 Triumph © Sputnik / Aleksei Malgavko

"O [negócio dos] S-400 é significativo por causa das sanções da CAATSA [Ato contra os Adversários da América Através da Lei de Sanções]. Também é significativo por causa do que impede, em termos de cooperação de alta tecnologia no futuro", informou um funcionário sênior anônimo do Departamento de Estado dos EUA, segundo o jornal Times of India.

Washington constantemente ameaça a Índia com retaliação sob o CAATSA emitido pelo Congresso dos EUA para impedir a compra de armas da Rússia. Apesar da pressão, Nova Déli permaneceu desafiadora e deixou claro que manteria o acordo. O general-chefe do Exército indiano, Bipin Rawat, confirmou que o acordo iria prosseguir e insistiu que seu país não saberia o que fazer, uma vez que "segue uma política independente".

A Índia e a Rússia têm uma longa história de comércio de armas, sendo Moscou o maior importador de armas de Nova Déli. Agora os EUA, que é o número 2, aparentemente querem mudar isso.

O funcionário acrescentou que Washington é fortemente contra a mistura de seus sistemas com os estrangeiros, dizendo que "há ameaças representadas pela compra de um S-400". É por isso que a Índia tem que escolher para onde "suas relações militares estão dirigidas" e "com quem vai compartilhar a mais alta tecnologia e esse ambiente operacional".

Até agora, as ameaças dos EUA não conseguiram impedir um fluxo constante de pedidos do S-400. Washington colocou uma pressão maciça sobre a Turquia para um acordo semelhante com Moscou. O país ameaça interromper as entregas de seus equipamentos militares pré-encomendados por Ancara e suspender os programas de treinamento para pilotos turcos de caças norte-americanos. Apesar disso, a Turquia espera que as primeiras baterias sejam entregues já neste ano.

iPhone 6s Apple 32GB Dourado 4G Tela 4.7” - Retina Câm. 12MP + Selfie 5MP iOS 11 Proc. A9

iPhone 6s Apple 32GB Dourado 4G Tela 4.7” - Retina Câm. 12MP + Selfie 5MP iOS 11 Proc. A9

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas