Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

EUA e Rússia trocam acusações após quase colisão de navios

Países culpam um ao outro por incidente envolvendo um cruzador de mísseis guiados americano e um destróier russo no mar da China Oriental. Embarcações ficaram a apenas 50 metros de distância.


Deutsch Welle

A Rússia e os Estados Unidos trocaram acusações nesta sexta-feira (07/06) após uma quase colisão entre um cruzador de mísseis guiados americano e um destróier russo no mar da China Oriental. Os navios chegaram a ficar a apenas 50 metros de distância.

Quase colisão de navios americano e russo no mar da China Oriental
Navios americano e russo ficaram muito próximos

Segundo a 7ª frota dos EUA, a embarcação russa colocou em risco a segurança do navio americano Chancellorsville e da tripulação, forçando-o a reverter todos os motores para evitar uma colisão. Ninguém ficou ferido, e os navios não chegaram a bater.

Um helicóptero que operava sobre o mar se preparava para aterrissar no Chancellorsville, que viajava em curso estável, quando o destróier russo, que navegava atrás da embarcação americana, aumentou a velocidade e ficou a uma curta distância.

"Consideramos que as ações da Rússia durante essa interação foram inseguras e pouco profissionais. Não seguiram as Regras Internacionais para a Prevenção de Colisões no Mar, Regras do Percurso e os costumes marítimos reconhecidos internacionalmente", afirmou o porta-voz da 7ª frota, Clay Doss.

O secretário americano de Defesa em exercício, Patrick Shanahan, disse que os EUA farão uma queixa diplomática formal sobre o incidente e terão conversas militares com Moscou. Shanahan destacou que o ocorrido não impedirá os Estados Unidos de realizarem operações navais.

Além do incidente naval, os EUA vêm se queixando repetidamente nos últimos anos de aviões russos que estariam voando perigosamente próximo a aeronaves americanas.

Após a acusação de Washington, a Rússia afirmou que foi o cruzador americano que fez uma manobra perigosa ao atravessar o percurso do destróier Almirante Vinogradov.

Em nota, a marinha russa disse que o Chancellorsville mudou de direção repentinamente e cruzou o caminho do Vinogradov a apenas 50 metros de distância, forçando a tripulação russa a fazer uma manobra rápida de emergência para evitar a colisão. Os militares enviaram então uma mensagem de protesto via rádio.

Esse foi o primeiro incidente envolvendo navios de guerra na região desde setembro do ano passado, quando uma embarcação chinesa fez uma manobra muita próxima a um destróier americano. Na época, os EUA também classificaram a ação de insegura e pouco profissional. Pequim disse que seu navio tinha como missão afastar o barco americano de ilhas que a China reivindica como suas.

As relações entre os Estados Unidos e a Rússia enfrentam seu momento mais delicado desde a Guerra Fria devido às crises na Ucrânia e Venezuela, à guerra da Síria e ao alegado envolvimento de Moscou nas eleições presidenciais americanas de 2016. Os dois países têm trocado acusações frequentemente sobre manobras perigosas de aviões e navios de guerra.

Notebook Dell Inspiron i15-3567-D15P - Intel Core i3 4GB 1TB 15,6” Linux

Notebook Dell Inspiron i15-3567-D15P - Intel Core i3 4GB 1TB 15,6” Linux

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas